Banho de Vapor Vaginal→ Tratamento Antigo e Bom para a Saúde Feminina

Banho de Vapor Vaginal→ Tratamento Antigo e Bom para a Saúde Feminina

Antes eram muito usados: banhos de vapor com ervas, sais ou de água pura, para manter a saúde genital feminina. Esta é uma prática das medicinas ancestrais de povos profundamente ligados à natureza. Assim se tratava, e bem, os problemas menstruais, as complicações pós-parto e até a infertilidade.

MAS, O QUE É UM BANHO DE VAPOR?

Você sabe! É o mesmo que fazemos quando estamos com nariz entupido, peito cheio: ferver a água em uma panela, colocar as folhas mais recomendadas e aspirar aquele vapor úmido cheio de princípios ativos.

Um banho vaginal, de vapor, indica que este vapor curativo deverá ser absorvido pela mucosa vaginal, períneo, ânus e, de preferência, abranger o baixo ventre também pois, por essas aplicações também são tratados diversos problemas uterinos, tanto pelo calor, a umidade, como pelas ervas ou sais.

O QUE SE PODE TRATAR COM BANHOS DE VAPOR VAGINAL?

● Dores na região: qualquer tipo de dor pélvica, uterina, na musculatura vaginal ou anal

● Inflamação associada à menstruação

● Cansaço associado ao parto

● Regula o fluxo menstrual, o período e a ocorrência de coágulos

● Melhora o tônus muscular no pós-parto e idade avançada

● Acelera a recuperação do sistema reprodutivo após parto ou aborto

● Reduz os sintomas de fibromas, quistos nos ovários, debilidade uterina, prolapso e endometriose

● Facilita a recuperação do tecido vaginal (cortes ou lacerações pós-parto), episiotomia

● Facilita a recuperação pós-cesárea

● Previne hemorróidas e facilita a recuperação destas

● Acelera a recuperação do piso pélvico (períneo) no pós-parto

● Reduz sintomas de menopausa

● Alivia a ressequidão vaginal

● Regula o fluxo vaginal natural

● Desintoxica o útero e todo o organismo

● Diminui a dor pélvica, as dores e cãibras uterinas

● Alivia a prisão de ventre e outras condições inflamatórias do intestino

COMO FAZER SEU BANHO DE VAPOR VAGINAL

mulher intimidade

O banho vaginal de vapor é aplicado com você sentada, pernas abertas, sobre o pote, panela, com ervas e água fervente. Tenha cuidado para não se queimar, é claro!

Os vapores curativos afetarão diretamente a vulva e a vagina – tecidos porosos e fartamente irrigados de sangue – produzindo o relaxamento dos tecidos, musculatura, em toda a região pélvica. Pela pele serão absorvidos os princípios ativos que você escolher usar (plantas ou sais) que serão levados, pela corrente sanguínea, até o útero e todo o seu organismo.

O vapor de ervas melhora a circulação local, afina as mucosas, limpa o sistema reprodutivo eliminando o excesso de membranas e possíveis aderências.

Durante o tempo que você estiver recebendo os vapores curativos, mantenha seu corpo coberto, abrigado de correntes de ar ou resfriamentos.

Sente-se a uma distância cômoda da fonte de vapor quente (você não deve sentir que está quente demais ou queimando, claro) e direcione o vapor para sua região pélvica fazendo um casulo com uma toalha grande.

Um bom banho de vapor deve durar entre 20 a 40 minutos, por etapas de 10 minutos cada. E, após o banho, massageie a região com um pano umedecido em água fria, que revitalizará sua pele e lhe trará melhores resultados, recomendam as que já usaram este método de cura.

Após o banho de vapor vaginal, é conveniente que você se deite, relaxe, durma. Mas, mantenha-se bem agasalhada pois, o frio, neste caso, não é fator de cura e sim de padecimento.

QUAIS ERVAS SE PODEM USAR PARA O BANHO VAGINAL DE VAPOR?

As ervas que se costuma usar são algumas das mais conhecidas e sobre as quais já falamos em outros artigos publicados no Greenme Brasil.

Você poderá escolher as que precisar, de acordo com o benefício que quer obter, e usá-las em conjunto, preparando um buquê próprio, muito seu.

Também poderá usar ervas indicadas pela curandeira, o hervanário, o fitoterapeuta, o médico naturista mas, com certeza, você deverá conhecer bem as ervas que escolher para seu uso pois, os resultados, os efeitos e até alguns sintomas e reações colaterais são próprias de cada organismo e, só se conhecendo bem e à erva que vai usar, você poderá fazer sua cura.

banho ervas oleos

Ervas de uso comum em banho de vapor são:

● Valeriana

● Camomila

● Tília

● Alfazema (*)

● Lavanda (*)

● Hortelã

● Orégano

● Tomilho

● Alecrim

● Manjericão

● Rosa

● Calêndula

● Crisântemo

● Pimenta vermelha

● Louro

● Arruda

● Aroeira

● (e muitas mais, com certeza, já que o uso das ervas é diferente para cada povo e, há muitas delas, medicinais, pela terra, certo?)

(*) há diferenças significativas nos usos de alfazema e lavanda, duas plantas muito parecidas, uma de fogo, a outra de água.

Leia aqui: ÓLEO DE LAVANDA É TUDO IGUAL? NÃO! CONHEÇA AS DIFERENÇAS NA AROMATERAPIA

E OS SAIS DE BANHO?

Da mesma maneira que as ervas, os sais são curativos e de uso antigo nos banhos de vapor. Tenha bastante cuidado ao escolher sais e, prefira não misturá-los pois você poderá sofrer os efeitos de uma reação química indesejada, certo?

Os sais de uso comum são:

  • sal marinho,
  • cloreto de magnésio,
  • enxofre,
  • cobre.

Cada sal tem um ou diversos efeitos curativos bastante específicos: cura de feridas, dores ou contaminações bacterianas são os aspectos abrangidos pelos sais que menciono.

O banho de vapor com sais tem efeitos mais drásticos do que aquele preparado com ervas, portanto, vá com calma, estude bem os efeitos de cada sal, teste sua resistência e observe suas reações.

Nem o banho de sal marinho será inócuo caso você abuse dele.

Este tipo de banho é de uso terapêutico na medicina chinesa tradicional, conforme explica o Blog do Departamento de Ginecologia e Andrologia da ESMTC – Escola de Medicina Tradicional Chinesa de Lisboa, Portugal.

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *