parar de fumar
parar-de-fumar

França contra o tabagismo: maço de cigarro a 10 euros!

Certamente, um brasileiro tabagista que já tenha viajado para a Europa deve ter se assustado ao comprar um maço de cigarro. Além, claro, de ter de pagar em euro, o preço do cigarro é bem mais elevado lá do que aqui no Brasil.

A França é um dos países onde o maço de cigarro é mais caro na Europa. E a tendência é que os preços se mantenham elevados como estratégia antitabagista, pois, a partir deste mês, entrou em vigorar uma nova taxa que passou a incidir sobre os maços de cigarro, fazendo-os custar 10 euros.

As vendas de cigarro já vêm diminuindo na França desde 2018.  Isso porque, em 2017, o governo francês já havia aumentado o preço do maço de cigarro com o intuito de incentivar a queda dos índices de tabagismo, que ainda são altos na França se comparados com os do Brasil. No país europeu, a indústria do tabaco fixa os preços dos seus produtos, mas o Estado pode intervir na variação das taxas, que representam mais de 80% do preço final.

No último ano, as vendas de tabaco na França diminuíram 7,2% e a taxa de fumantes segue caindo anualmente, informa a agência FranceInfo. Sobretudo os jovens têm fumado menos, bem como as pessoas financeiramente desfavorecidas. Tanto a elevação do preço do cigarro quanto o serviço gratuito de tratamento para quem deseja parar de fumar têm sido os responsáveis pela queda do número de fumantes na França.

O tabaco mata 75 mil franceses anualmente. Logo, qualquer iniciativa restritiva ao tabaco é uma estratégia para evitar essas mortes e as doenças decorrentes do tabagismo.

Mas não é só isso: o cigarro prejudica também quem não fuma, polui o meio ambiente e a atmosfera.

Talvez te interesse ler também:

20 Motivos CONVINCENTES para Deixar de Fumar

Nunca é tarde para largar o cigarro: a mágica capacidade de multiplicação das células saudáveis para regeneração do pulmão

De olho na saúde dos jovens, cidade da Califórnia proíbe cigarros eletrônicos

Sobre Gisella Meneguelli

Gisella Meneguelli
É doutora em Estudos de Linguagem, já foi professora de português e espanhol, adora ler e escrever, interessa-se pela temática ambiental e, por isso, escreve para o GreenMe desde 2015.

Veja Também

Covid-19 na Europa: lockdown, toque de recolher, recorde de mortes e protestos

Lockdown na França e na Alemanha, toque de recolher e protestos na Itália, recorde de …