Emagrecer recebendo luz: não é um milagre, é ciência!

Emagrecer recebendo luz

A busca por novas técnicas para o emagrecimento continua a todo o vapor. A novidade agora é a uma manta desenvolvida por pesquisadores da USP, da Universidade Federal de São Paulo, a Unifesp, e da Universidade Federal de São Carlos, UFSCar, que está auxiliando no processo de perda de peso. Testada em 48 mulheres que se encontravam acima do peso ideal, a manta foi posta em ação por meio de aplicações em três dias por semana durante 16 minutos cada sessão. E manta deu resultado.

Como a manta funciona?

Uma das pesquisadoras do projeto, Fernanda Oliveira Duarte, da UFSCar, explica que as mantas devem postas na região da barriga, nas coxas e no bumbum. Seu funcionamento se dá por meio de luz infravermelha, que ativa algumas células do músculo, deixando-o mais ativo o que, associado à atividade física, produz o efeito indireto de quebrar a gordura para suprir a necessidade do músculo.

Os pesquisadores apontaram a eficácia da manta em 90% das voluntárias durante o período de testes. Todas elas perderam ao menos dois quilos no processo. Entretanto, o mais interessante foi notar a mudança no peso de cada uma delas, que perderam gordura, mas ganharam massa muscular. Reduzindo medidas corporais, de cintura, abdômen, quadril, de pescoço também.

De acordo com a pesquisadora do Grupo de Óptica do IFSC-USP, Marcela Sene Fiorese, a pesquisa já atendeu aproximadamente 150 pessoas, todas com problemas de sobrepeso ou obesidade, colocando o aparelho à disposição da sociedade durante as pesquisas e com cobertura dos custos feita pelo instituto, e que tem como grande propósito combater a obesidade, uma mal classificado como uma Doença Inflamatória Subclínica Crônica e que precisa de tratamento contínuo.

Isso reforça a importância de técnicas como esta, que não se vale de subterfúgios “milagrosos” para emagrecer e ajuda a condicionar o paciente a mudar seus hábitos alimentares e a realizar exercícios físicos para sempre, em prol de manter um peso equilibrado e com a saúde em dia.

Ótimo!

Leia também: Por que estamos cada vez mais gordos?

Fonte foto: ifsc.usp-br