Em apenas uma semana, estudantes brasileiros recebem 3 premiações importantes

Em apenas uma semana, estudantes brasileiros recebem 3 premiações importantes

Os estudantes do ensino médio do Campus Osório do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) conquistaram três premiações importantes em pesquisas na área ambiental.

Na feira internacional Genius Olympiad, o 1° lugar na categoria ‘Ciência’ ficou com o projeto “Ecoboard: desenvolvimento de painéis aglomerados utilizando resíduos de milho e arroz“, dos estudantes Júlia Oscar Destro e Lucas Oliveira de Lima.

o bronze ficou com a brasileira Ana Clara Jardim da Silva, que desenvolveu o projeto “Litoral Libras: plataforma virtual da Língua Brasileira de Sinais com foco nas variações linguísticas do litoral norte gaúcho para a promoção da acessibilidade entre surdos e ouvintes”.

A qualidade da educação

O histórico de destaque de uma das mais importantes feiras de jovens cientistas do Brasil e do mundo se deve à qualidade da educação do IFRS, uma escola pública federal.

A feira internacional Genius Olympiad foi realizada virtualmente entre os dias 7 e 12 de junho. O anúncio dos projetos premiados foi feito em cerimônia pelo canal do Youtube da Genius Olympiad.

A pesquisa “BioStretch: desenvolvimento de plástico biodegradável utilizando resíduos industriais”, da estudante Laura Nedel Drebes, venceu a categoria ‘Consciência Circular’ do 1º Prêmio de Incentivo ao Empreendedorismo Científico (PIEC).

A estudante Laura Nedel Drebes

Laura comentou a importância da ciência e da educação em sua vida:

“A pesquisa ocupa um lugar imensurável em minha vida, pois me transforma a cada dia em um ser humano melhor. Apesar de todos os desafios e dificuldades que nos rodeiam, eu e meus orientadores decidimos seguir em frente! Receber esse reconhecimento foi uma alegria muito grande, pois reforça que fizemos a escolha certa. Além disso, mostra mais uma vez a importância e o poder fascinante que a educação tem em nossas vidas”.

Conheça mais sobre os projetos premiados

Ecoboard

“Ecoboard”: Desenvolvimento de painéis aglomerados utilizando resíduos de milho e arroz’ surgiu da inspiração do estudante Lucas Oliveira de Lima em dar uma finalidade às cascas de arroz que ele via acumular em grandes montes, e onde brincava quando criança, nas três indústrias próximas de sua casa.

O painel aglomerado feito com casca de arroz e sabugo de milho, colados com resinas vegetais, é mais ecológico e barato que os convencionais.

BioStretch

“BioStretch”: Desenvolvimento de plástico biodegradável utilizando resíduos industriais’ desenvolveu filmes flexíveis e com fina espessura utilizando o que sobra do processamento de milho e beterraba. É uma alternativa para a substituição dos plásticos sintéticos convencionais a partir de recursos renováveis, que levam menos tempo para se degradar e não causam malefícios ao meio ambiente.

Litoral Libras

“Litoral Libras”: Plataforma virtual da Língua Brasileira de Sinais com foco nas variações linguísticas do litoral norte gaúcho para a promoção da acessibilidade entre surdos e ouvintes’ deu origem à plataforma didática Litoral Libras, que tem contribuído para a difusão da Língua Brasileira de Sinais e a redução das barreiras de comunicação na região. Nela, estão disponíveis materiais de pesquisa e estudos da Libras, além de um glossário com os sinais mais utilizados. O projeto foi orientado pela professora Aline Dubal, com coorientação de Ingrid Gonçalves Caseira.

A docente Flávia Twardowski, orientadora das duas primeiras pesquisas premiadas, que contaram, também, com a co-orientação do professor Cláudius Jardel Soares, destaca a a relevância dos projetos:

“Trabalhar com aproveitamento de resíduos e ver as inúmeras possibilidades que podemos desenvolver com eles é muito instigante. Mas fazer pesquisa no Brasil é um desafio e, neste momento, a pesquisa brasileira está tão desacreditada. Mas a pandemia nos impulsionou a continuarmos. A ciência transforma não apenas os resíduos em diferentes produtos, mas a nós mesmos, e é inspirador!”.

Em tempos em que se defende homeschooling e negacionismo, a educação e a ciência mostram a sua grandeza!

Parabéns aos premiados e a todos os envolvidos!

Talvez te interesse ler também:

O tijolo mais resistente que concreto, feito de plástico reciclado por esta queniana

Salvando golfinhos da extinção, biólogo gaúcho recebe o Oscar da Ecologia

Estudantes criam protetor solar 100% natural à base de óleo de buriti para famílias de baixa renda

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *