80 tiros
80 tiros

Nem 8 mas 80! Nenhum tiro a mais!

– “Que Deus proteja o Rio de Janeiro”.

– “Seria uma atitude inédita de Deus”.

Esse diálogo de uma charge do cartunista André Dahmer mostra o total desamparo em que se encontra a população carioca.

Não bastasse a tragédia provocada pela negligência política em não prevenir os estragos causados pelas chuvas de verão, a violência é outro aspecto do descaso dos políticos para com a população da capital fluminense e de todo o Brasil.

A sociedade brasileira está chocada (mais uma vez!) com o extermínio de militares do Exército a uma família carioca que transitava na zona oeste. Os agentes do Estado dispararam 80 tiros contra o carro da família, o que nos faz pensar sobre a motivação desses militares para essa ação covarde e desmedida. Afinal, não foram 8 tiros – o que já seria muito -, mas 80!

Um homem, Evaldo Rosa dos Santos, foi morto em frente a seu filho, sua companheiro e seu sogro, além de um pedestre também ficar ferido. Os militares dizem que confundiram o carro da família com o de criminosos.

De acordo com Luciana Nogueira, companheira de Evaldo que também estava no carro: “Eu pedi socorro, eles ficaram de deboche”, divulga a Midia Ninja. Nas redes sociais, chegou-se ao ponto de se divulgar que a vítima estaria armada.

Será que, se fosse uma família branca da zona sul carioca pedindo socorro, os militares teriam-na executado e ainda teriam debochado dela?

As vítimas desse tipo de crime, no Brasil, são os negros. A família estava indo para um chá de bebê, ou seja, não havia a menor possibilidade de ela ser confundida com criminosos, quando havia uma criança dentro do automóvel. Os militares não apenas acabaram com a vida da família, como de toda a população negra, que vive com a insegurança de ser a próxima vítima. Entretanto, a violência atinge a todos os brasileiros porque ninguém pode estar em paz e em segurança quando ela está presente em uma sociedade.

Os agentes públicos, como prefeito, governador e o presidente, silenciaram-se sobre esse genocídio, que não é um fato isolado no problema da segurança pública no Brasil, para o qual não há uma posição nem um planejamento institucional.

Infelizmente, o Estado coloca as pessoas para se matarem, como num jogo de tabuleiro. Ainda mais agora com o discurso armamentista institucional que legitima a violência no país. O fogo cruzado não irá nos ajudar; está nos matando!

Acontece que 80 tiros não é um engano. É caso de execução, revide, vingança, ódio, racismo, genocídio, tudo junto e misturado com o despreparo de um sistema de segurança pública que evidentemente precisa ser repensado e reconfigurado.

charge rio

Nenhum tiro a mais! Por uma cultura de paz e valorização da vida.

Talvez te interesse ler também:

O NÓ DA ARMA: POR UMA CULTURA DA NÃO VIOLÊNCIA

CHUVAS NO RIO: TRAGÉDIA QUE SE REPETE TODO ANO. TRISTEZA NÃO TEM FIM

BRASIL E NOVA ZELÂNDIA: 2 ATENTADOS SIMILARES E 2 VISÕES POLÍTICAS OPOSTAS

Fonte foto: Fábio Teixiera. Agência O Globo

Sobre Gisella Meneguelli

Gisella Meneguelli
É doutora em Estudos de Linguagem, já foi professora de português e espanhol, adora ler e escrever, interessa-se pela temática ambiental e, por isso, escreve para o GreenMe desde 2015.

Veja Também

Papa Francisco

Momento histórico: Papa Francisco se diz favorável ao casamento gay

É a primeira vez que um papa se pronuncia a favor da união civil entre …