Número de mortes em Minas Gerais aumenta por causa da chuva: saiba como ajudar as vítimas

O registro das chuvas intensas começou no dia 17 de janeiro em todo o país, afetando, principalmente, Minas Gerais e o Espírito Santo.

A razão, segundo o Instituto de Meteorologia (Inmet), foi a passagem de uma frente fria no litoral do Rio de Janeiro associada ao calor e à umidade no continente – típicos desta época do ano.

Quinta-feira passada, Minas Gerais começou a ficar em situação de alerta. O governador do estado chegou a falar em um vídeo para que as pessoas se preparassem para as fortes chuvas que iriam chegar no dia seguinte.

De fato, na sexta-feira, o mundo desabou em Minas em forma de chuva. O Inmet dividiu o estado em zonas de alerta. Belo Horizonte e região metropolitana apareciam no mapa do Inmet na região vermelha, de alerta total.

Semáforos e pontes derrubados pela chuva, casas e mercadorias perdidas, histórias de vida que ficaram para trás: o saldo de perdas provocado pelas chuvas em Minas foi grande nos últimos dias e ainda parece não ter chegado ao fim.

Mortos e desabrigados

Segundo a Defesa Civil de Minas Gerais, o número de mortes subiu para 52 (dados de ontem, 28) em decorrência das chuvas recentes. Uma pessoa está desaparecida, 65 estão feridas e, aproximadamente, 35 mil estão desabrigadas ou desalojadas, informa o G1.

Ao todo, 101 cidades já decretaram estado de emergência. A medida, publicada no Diário Oficial de Minas Gerais, foi reconhecida pelo governo federal, o que significa que ela tem validade durante 180 dias para que ações de auxílio às vítimas sejam tomadas de forma célere.

O Ministro do Desenvolvimento Regional do Brasil, Gustavo Canuto, prometeu uma verba de R$ 90 milhões para o estado, além de destinar a antecipação do Bolsa Família e do saque do FGTS para as pessoas atingidas pela chuva.

Como ajudar as vítimas

Com esse cenário catastrófico na vida de tantas pessoas, várias ações têm sido mobilizadas em todo o estado de Minas Gerais para tentar ajudar as vítimas.

Há vários pontos de arrecadação de alimentos, itens de higiene pessoal e roupas em várias cidades mineiras.

Na cidade de Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira, restaurantes, padarias e cafeterias começaram a divulgar nas suas redes sociais que estão funcionando como ponto de coleta de itens de necessidade básica.

Informe-se onde, na sua cidade, existem esses pontos para você ajudar as vítimas dos municípios mais atingidos pela fortes chuvas que assolam Minas Gerais.

Talvez te interesse ler também:

Chuvas + Brasil = Tragédias. Por que todo ano a mesma história?

Fonte foto

Sobre Gisella Meneguelli

Gisella Meneguelli
É doutora em Estudos de Linguagem, já foi professora de português e espanhol, adora ler e escrever, interessa-se pela temática ambiental e, por isso, escreve para o GreenMe desde 2015.

Veja Também

Quando o racismo se aprende na escola

A escola é uma das instituições mais importantes no combate ao racismo. Não à toa, …