Dogue Alemão: ter ou não ter? Tudo sobre essa raça. Adote e aprenda como cuidar!

  • atualizado: 
Dogue Alemão

O Dogue Alemão ou cão dinamarquês é uma raça de cães alemã cuja característica principal é a altura, pois são conhecidos como os cães mais altos do mundo.

Além da altura, os Dogues Alemães são conhecidos pelo seu porte imponente e elegante, mas não é para se assustar! Apesar de serem enormes, o temperamento deles é bastante calmo e equilibrado, sendo excelentes companhias e ótimos cães de guarda.

Se você, assim como eu, já se apaixonou por esse verdadeiro gentleman canino só pela introdução, prepare-se para se impressionar ainda mais com características dignas de um verdadeiro Lord!

 

1. Características gerais

A principal característica do Dogue Alemão é a altura. A média é de 86 cm, onde a mínima exigida na cernelha (topo onde se juntam as espáduas do animal) é de 72 cm para as fêmeas e 80 cm para os machos. Porém existem exemplares que passam dos 90 cm de altura e 70 kg de peso, como é o caso do Zeus com 1,12 m de altura e a Lizzy com 96,41 cm, de acordo com o Guiness Book.

Além da altura, outras características que definem o Dogue Alemão de acordo com os padrões são:

  • Cabeça alongada, estreita e expressiva;
  • Topo do crânio e focinho retos formando duas linhas paralelas;
  • Olhos amendoados, com pálpebras bem ajustadas, sem ser caídas;
  • Pescoço longo, seco e musculoso;
  • Corpo forte, muscular com costelas arqueadas;
  • Membros fortes, bem angulados e paralelos;
  • Dedos unidos e bem arqueados, lembrando patas de gato;
  • Movimentação harmoniosa e com passadas largas.

A pesquisa destaca ainda que estão fora dos padrões características como: jarrete de vaca (pernas tortas para dentro), pescoço curto e grosso, cabeça em forma de maçã (com o topo arredondado), prognatismo (dentes para fora), lábios pouco desenvolvidos ou muito pendentes, corpo muito leve ou muito pesado.

Outra característica bastante visível no Dogue Alemão é com relação às orelhas que originalmente são caídas, mas que em muitos países, devido às finalidades de caça e estética, é feita uma cirurgia para deixá-las eretas chamada conchectomia. No Brasil essa prática foi proibida pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária.

Com relação ao pêlo e às cores do Dogue Alemão, existe uma variedade grande de opções, mas que devem respeitar os padrões para fins de reprodução e exposição. O pêlo geralmente é curto, denso, rente ao corpo e brilhante, do contrário é considerado falta, como por exemplo pelagem dupla e fosca.

As cores por padrão são divididas em cinco categorias:

  • Dourado - pêlos dourados em tons claros ou escuros, sem manchas brancas, com máscara preta no focinho e nos olhos. As orelhas são mais escuras que o restante do corpo;
  • Tigrado - pêlos dourados no fundo com listras negras bem definidas;
  • Arlequim - fundo com pêlos brancos e manchas negras irregulares espalhadas por todo o corpo. Trufa (nariz) rosa, olhos claros, em muitos casos sendo um de cada cor (desqualificantes);
  • Preto - pêlos negros, porém existem alguns exemplares permitidos com manchas brancas nas patas e no peito. Os que possuem manchas brancas no pescoço, focinho, peito e ponta da cauda são chamados de “mantado” ou Boston, devido à semelhança com o Boston Terrier. E os brancos com manchas pretas no crânio, orelhas e dorso são chamados de preto plaqueado;
  • Azul - pêlo cinza-azulado (azul-aço). O padrão permite pequenas manchas brancas no peito e patas.

Além das cinco categorias de cores, existem três variedades que são permitidas na reprodução da raça de acordo com a cor, porém uma variedade não deve ser cruzada com a outra para não surgirem cores indesejadas. Portanto, são permitidos esses três cruzamentos:

  • dourados com tigrados;
  • azuis com pretos descendentes de cruzamentos de azuis;
  • arlequins com pretos descendentes de arlequins (incluindo mantados e plaqueados).

A pesquisa destaca ainda a existência de duas espécies com cores fora do padrão, mesmo o cruzamento sendo feito de forma correta:

  • Merle - cor de fundo cinza com manchas pretas irregulares (ocorre normalmente no cruzamento de arlequins);
  • Branco - causada pelo gene merle que quando possui alelos iguais (homozigose), inibe a produção de melanina, por isso nascem totalmente brancos e com olhos azuis. A desvantagem dessa variedade é que por serem frágeis, a maioria apresenta problemas de surdez e cegueira, além de serem muito sensíveis ao Sol, por isso são confundidos muitas vezes com albinos (mesmo não possuindo o gene do albinismo).

Quando do nascimento dessas duas últimas variedades, a reprodução delas é proibida, devido aos riscos de surdez, cegueira e outros problemas neurológicos e autoimunes.

Outras cores que podem surgir são arlequins com dourado e tigrados e mantados com dourado e azul. Nesses casos, eles também terão direito a pedigree como os outros, porém deverão ser identificados como “inaptos para reprodução”, desde que sejam provindos de cruzamentos autorizados.

2. Origem da raça

dogue alemão 2

Como o próprio nome já diz, o Dogue Alemão tem origem na Alemanha, mas há rumores que a raça surgiu do cruzamento de duas raças distintas Molosso e Lébrel Irlandês com o intuito de criar uma raça ágil e forte para caçar javalis, lobos e ursos.

A raça se espalhou pela Europa e em 1863, participou da primeira exposição de cães na Alemanha, exibindo dois exemplares: dogue dinamarquês (branco e preto) e o dogue de Ulm (marrom, tigrado, preto ou cinza). Em 1880 as duas raças foram unificadas assumindo o nome Dogue Alemão (Deutsche Dogge) que conhecemos até hoje.

A palavra “Dogue” vem do inglês e do próprio alemão “dogge” que significa no inglês antigo “docga” (cão poderoso, musculoso). Daí a origem dessa raça muito bem representada pelo imponente Dogue Alemão.

3. Predisposições para doenças

Cães de porte muito grande apesar de serem fortes e resistentes, podem ter algum problemas graves como:

  • Torção gástrica - estômago dilatado que gira sobre si mesmo impedindo a drenagem estomacal, comprimindo a circulação e a respiração. Para resolver o problema é necessário fazer uma cirurgia urgente. Para evitar a torção gástrica, é necessário controlar a alimentação do cão, oferecendo três porções diárias em horários determinados, não deixar que beba muita água e não se esforçar após as refeições;
  • Cardiomiopatia e doença arterial coronariana;
  • Câncer - osteosarcoma (câncer nos ossos), linfomas e tumores mamários;
  • Displasia coxofemoral - doença genética que causa dores e dificuldade de locomoção. Pode ser desenvolvida também por excesso de exercício, dieta desequilibrada e sobrepeso;
  • Catarata e glaucoma (menos frequentes).

Os especialistas indicam ainda que sejam feitos testes cardíacos e exames nos cotovelos, nos olhos e no sangue.

A expectativa de vida do Dogue Alemão é de 6 a 8 anos, podendo em alguns casos raros se estender a 14 anos.

4. Motivos para ter e para não ter um Dogue Alemão

dogue alemão 3

A aparência do Dogue Alemão pode assustar um pouco no início, mas por trás de todo o tamanho e força características da raça, existe um cão dócil, fácil de lidar e muito fiel ao seu dono. Ele só não é muito gentil com estranhos e também deve-se tomar cuidado no contato dele com crianças muito pequenas, pois embora goste de crianças, sua força pode ser um pouco exagerada.

Como cão de guarda, sua característica de origem, o Dogue Alemão é excelente, porém é necessário avaliar sua descendência, pois infelizmente muitos cruzamentos indiscriminados fizeram com que estes cães perdessem sua capacidade de caça e de guarda, dando lugar para comportamentos como agressividade excessiva, timidez ou medo.

Essas últimas características são consideradas faltas graves nos padrões de pedigree.

No mais, o Dogue Alemão é uma ótima companhia, fácil de treinar e, apesar de grande, é considerado nobre e sensível.

5. Como cuidar

Assim como qualquer cão ou outro animalzinho de estimação, o Dogue Alemão também precisa de cuidados, carinho e atenção. Embora seja grande e forte, ele não deve ser criado fora de casa, por isso recomenda-se que ele fique dentro de casa e tenha uma cama grande e confortável, pois ele gosta muito de se esticar e com esse tamanhão todo, imagina só se a caminha não tiver o tamanho adequado não é mesmo?!

Também é recomendado levá-lo para passear e caminhar todos os dias, pois assim como os donos, os cães também precisam de exercícios físicos. Sem contar que com uma companhia dessas, não tem como não se render… Leve seu Dogue Alemão para passear ou deixe-se levar por ele ou ela!

Com relação aos pêlos, como normalmente são curtos e rentes à pele, não precisam ser tosados, apenas uma boa higienização e devidos cuidados como de costume e orientações do veterinário.

6. Adote, não compre!

E aí? Gostou das informações sobre o famoso “Apolo dos Cães”? Como ele é um cão nobre e existem padrões de reprodução, o preço varia de acordo com a ninhada dos pais, avós e bisavós, bem como se são premiados, competidores, campeões e afins.

Apesar de todas essas características que tornam o comércio indiscriminado de cães algo desumano, é possível pesquisar um pouco mais, principalmente nos canis para saber se existe algum cãozinho (ou cãozão neste caso) que tenha sido abandonado ou rejeitado por ter nascido “fora das especificações” e é por isso mesmo que estes é que devem ser escolhidos, acolhidos e amados!

Antes de pensar em comprar esta ou qualquer outra raça de cães, pense em quantos estão disponíveis só esperando o seu amor e carinho para retribuírem três vezes mais, que é como a maioria dos cães carentes fazem… Faça uma escolha consciente e seja feliz com seu cão de adoção!