foto

O que fazer com os 10 bilhões de toneladas de lixo que produzimos?

O lixo acumulado no mundo se torna um problema cada vez maior. A noção de que basta jogar o lixo “fora” quando, na verdade, não existe fora, todos os lugares fazem parte do mesmo planeta, da mais desolada favela à mais rica área residencial. Entre 7 e 10 bilhões de toneladas de lixo são produzidos a cada ano e cerca de 3 bilhões de pessoas não têm acesso aos serviços de despejo de lixo. No passado, o alto consumo não existia, ou era regrado a poucos países, mas agora o consumo ocorre em todos os cantos e as estimativas indicam que isto, juntamente com o crescimento populacional e a urbanização, devem aumentar consideravelmente o montante de lixo em áreas mais pobres da África e da Ásia.

Este é o panorama do Gerenciamento Global de Lixo, lançado pelo PNUMA e pela Associação Internacional de Lixo Sólido (ISWA, na sigla em inglês).

Nas palavras do diretor executivo do PNUMA, Achim Steiner:

“Uma resposta urgente para os problemas de lixo não é apenas um problema ambiental e de saúde pública, mas também um investimento econômico. A falta de ação está custando aos países de 5 a 10 vezes mais do que os próprios investimentos em gerenciamento de lixo. Um compromisso maior por parte das nações para aplicarem sistematicamente os 3 R’s – Reduzir, Reusar, Reciclar – pode transformar o problema do lixo em um recurso para as nossas economias.

O gerenciamento global de lixo proposto por este relatório tem o potencial de resultar em dramáticas reduções de gases de efeito estufa, na criação de milhões de trabalhos verdes e benefícios econômicos de centenas de bilhões de dólares. Ao atingirmos, estaríamos também caminhando a passos largos para realizar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.”

Mas não adianta ficar só reclamando e não oferecer uma solução, não é mesmo? Pois o relatório global sobre o lixo aponta sugestões, entre elas melhoria imediata da coleta e despejo de lixo e maximização do reuso e reciclagem.

Há também a questão da mentalidade do ser humano que, como dito acima, acredita que basta jogar o lixo fora que está tudo muito bem. Não está, não! O relatório encoraja a mudança de pensamento, levando as pessoas a considerar o lixo como uma questão maior de gerenciamento de recursos, deixando este problema restrito apenas ao meio ambiente e à saúde.

Exemplos de sucesso de reciclagem e outros planos de gerenciamento de recursos são apontadas no relatório, das quais a inclusão informal de recicláveis no sistema da administração municipal de lixo na Bolívia resultou na coleta e tratamento de 29 mil toneladas de lixo e na criação de 443 trabalhos verdes. Um esquema similar na capital da Colômbia, Bogotá, está retirando 1.200 toneladas diárias de lixo do aterro e empregando cerca de 8.250 pessoas.

Leia também:

O PLANETA NÃO SUPORTA MAIS LIXO

PAULÍNIA DÁ EXEMPLO NA COLETA E GERENCIAMENTO DO LIXO

QUAIS SÃO OS PAÍSES QUE MAIS PRODUZEM LIXO?

Fonte foto: indiaenvironmentportal.org

Sobre Redação GreenMe

Redação GreenMe
greenMe.com.br é um site de informação sobre meio ambiente e saúde, criado para levar ao grande público, a consciência de que um mundo melhor é possível, através de um comportamento respeitoso com todas as formas de vida.

Veja Também

Amostra grátis? NÃO, obrigada! Chega de plástico!

Sabe aqueles sachês de amostra grátis que recebemos nos mercados ou das marcas de cosméticos …