A tartaruga-gigante-de-galápagos não se extinguiu! Descobertas pelo menos 30 descendentes

Em 2012, tínhamos nos despedido do Solitário George, uma tartaruga  gigante que morreu de forma repentina na ilha de Pinta, no arquipélago de Galápagos, e com isso os cientistas haviam anunciado que sua morte teria marcado o fim da espécie Chelonoidis nigra abingdoni.

Agora, no entanto, chegaram alentadoras notícias sobre a preservação dessa espécie, anunciando que uma nova expedição descobriu uma jovem fêmea de tartaruga com um genoma semelhante ao de George.

Por essa descoberta, essa expedição já valeu muito a pena, e graças à mesma,  os pesquisadores encontraram nas proximidades do vulcão Wolf,  30 tartarugas gigantes híbridas,  com linhagem parcial das espécies Chelonoidis nigra abingdoni e Chelonoidis nigra, ambas consideradas extintas em Galápagos.

BREAKING NEWS: A tortoise with Pinta Island tortoise ancestry — Lonesome George's species — has been found on Wolf…

Geplaatst door Galapagos Conservancy op Vrijdag 31 januari 2020

Destas tartarugas encontradas, 11 são machos e 19 são fêmeas, e entre estas, está a jovem fêmea que é descendente do solitário George.

Geplaatst door Parque Nacional Galápagos op Vrijdag 31 januari 2020

De acordo com a entidade Galapagos Conservancy, essa jovem tartaruga pertence à espécie tartaruga-das-galápagos-de-pinta (Chelonoidis nigra abingdoni), pois foi constatado que ela possui 16% dessa espécie considerada extinta, a qual pertenceu a tartaruga que foi símbolo de Galápagos, o solitário George que viveu na Ilha de Pinta.

Presume-se que ela descenda de um indivíduo puro, que possivelmente ainda habite em algum lugar do vulcão Wolf, ao norte da ilha Isabela.

[BOLETÍN] Expedición científica a volcán Wolf localiza una tortuga pariente del Solitario GeorgeLa expedición a…

Geplaatst door Parque Nacional Galápagos op Vrijdag 31 januari 2020

Vinte das tartarugas encontradas foram identificadas e as outras dez tartarugas (sete fêmeas e três machos) ainda serão melhor identificadas, pois ainda não haviam sido genotipadas. Mas, porque possuíam conchas altamente seladas, característica típica das espécies das Ilhas Floreana e Pinta, é possível que sejam também descendentes das mesmas.

A expedição que faz parte da Iniciativa de Restauração de Tartarugas Gigantes, um programa da Conservação de Galápagos e da Diretoria do Parque Nacional de Galápagos, foi realizada justamente para fazer análises genéticas em tartarugas e estabelecer a determinação das espécies, inclusive as extintas. Para tanto a equipe coletou 50 amostras de sangue e colocou microchips nas tartarugas.

Em suma, essa expedição reacendeu a esperança de uma espécie que acreditava-se desaparecida, ainda existir, mantendo-se ainda como ícone de Galápagos, como foi um dia a tartaruga George.

Talvez te interesse ler também:

Diego, tartaruga pai de 800 filhotes, salvou a sua espécie da extinção

Equador cria um santuário marinho para os tubarões do Galápagos

Vaga-lumes em risco de extinção por causa de pesticidas e poluição luminosa

Sobre Deise Aur

Avatar
Professora, alfabetizadora, formada em História pela Universidade Santa Cecília, tem o blog A Vida nos fala e escreve para GreenMe desde 2017.

Veja Também

Playground de pandas: uma fofura de lugar para preservar esse animal fofo!

O panda quase entrou em extinção, existem poucos indivíduos da espécie, e os que restam, …