#PrayForAmazonas: queimadas no Brasil é o assunto mais falado no mundo

#PrayForAmazonas

Nessa quarta-feira (21), as notícias e imagens dos incêndios que se alastram pelo país estiveram entre as mais compartilhadas nas redes sociais. A hashtag #PrayForAmazonas foi um dos ‘trending topics‘ do Twitter mundial, chegando a ocupar a primeira posição entre os assuntos mais comentados.

Mato Grosso e Pará são os estados mais afetados pelo fogo neste ano. Segundo informações do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), de janeiro a 18 de agosto de 2019, o número de queimadas cresceu 70% em relação ao mesmo período do ano passadoA Amazônia é o bioma mais afetado, com 52,5% dos 72.843 focos de incêndio registrados, seguida do Cerrado, com 30,1%.

A precisão dos sistemas de monitoramento do Inpe, reconhecidos mundialmente, foi questionado não só pelo presidente Jair Bolsonaro, mas também pelos ministros do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes. No entanto, uma imagem da Agência Espacial dos Estados Unidos (Nasa) confirma a gravidade do cenário atual.

A foto da Amazônia em chamas, divulgada esta semana, revela, ainda, que os incêndios se concentram nas áreas derrubadas para a criação de pastos.

amazonia chamas nasa

SOS – Animais em risco

Nas redes sociais, além das imagens aéreas da floresta em chamas, foram compartilhadas também fotos retratando o sofrimento dos animais. Como noticiamos aqui no GreenMe, um relatório do Fundo Mundial para a Natureza (WWF) alertou recentemente para redução do número de espécies, um problema que ainda não recebe a devida atenção.

O biólogo Izar Aximoff, doutor em Botânica pelo Instituto de Pesquisas do Jardim Botânico do Rio de Janeiro (JBRJ), dedicou-se ao estudo da recomposição das florestas no Rio de Janeiro e testemunhou, em primeira pessoa, os efeitos das queimadas nas espécies animais nativas, trata-se de uma perda irrecuperável:

“É muito triste ver a floresta totalmente dizimada. Aquele cenário colorido, com flores, sons de animais, pássaros cantando, bichos se movimentando e cheiro de mata dá lugar ao silêncio, a animais carbonizados, a um cheiro de carne queimada, à desolação. Fica tudo preto e você fica sujo com aquele resíduo de carvão”, contou o biólogo à BBC Brasil, referindo-se a um incêndio ocorrido anos atrás, em uma área que monitorava. “Espécies ameaçadas acabam não voltando. A cada queimada, a diversidade é perdida”, desabafou.

#PrayForAmazonas, a tragédia das queimadas tem dimensões e danos imensuráveis. Um rio de lágrimas sem fim, que deságua sobre o mundo.

Ver essa foto no Instagram

?? Hay momentos en los que cuesta armarse de palabras.Este es uno de esos, sólo tengo un gran nudo en el corazón, cargado de impotencia. Me da una pena terrible ? y aunque una ilustración no ayuda a revertir el daño espero ayude a que más personas se informen y concienticen, estamos destrozando nuestro hogar. No es solo la Amazonas es todo lo que nos rodea. No nos merecemos vivir aquí. Tenemos que empezar a hacer cambios simbólicos, ser más conscientes, comunicar, compartir información, juntos podemos desde las posibilidades de cada quien de tratar de salvar lo poco que nos queda. . . . Busquen la publicación de @marianamatija para info y como ayudar, lo puse en mis stories pero por si se va.. . Viajé a Brasil el año pasado y es de los lugares más hermosos que he visitado, que pena que Bolsonaro no opine lo mismo y que reinen intereses banales por encima del bienestar de grupos indígenas y del medio ambiente y asi fácil quiera destruir el pulmón del mundo. . #prayforamazonia #prayforamazonas #conciencia #queestamoshaciendo #sosad #dailydoodle #brasil #procreate #mjdaluz #ilustradoratica #crisisambiental #nature #heartbroken #world #illustrator #sosamazonia #sosbolivia #oremosporelamazonas #actforamazonia

Uma publicação compartilhada por Maria Jose Da Luz (@mjdaluz_illustration) em

Talvez te interesse ler também:

TATUZINHO, VÍTIMA DO INCÊNDIO EM ÁREA DE MATO GROSSO, RECEBE SOCORRO DE BOMBEIROS

Fonte imagem: Hufftingpost.it

Jornalista e mestre em Ciência da Religião. Tem 18 anos de experiência em produção de conteúdo multimídia. Coordenou diversos projetos de Educação, Meio Ambiente e Divulgação Científica.
Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Instagram
Siga no Facebook