Os incêndios no Ártico continuam, a situação piora a cada hora (com terríveis consequências para todos)

Os incêndios que estão destruindo as florestas do Ártico, onde as chamas estão queimando há dois meses, não mostram sinais de querer diminuir.

Temperaturas acima de 30 graus Celsius e ventos fortes contribuem para a propagação do fogo que se tornou incontrolável.

Bombeiros estão lutando para intervir por causa da pouca visibilidade e devido ao fato de que muitos incêndios se desenvolveram em áreas de difícil acesso: domar as chamas é muito perigoso e caro.

Os incêndios devastaram quase 4 milhões de hectares de floresta e as chamas estão se aproximando perigosamente dos centros habitados: entre as áreas mais afetadas estão Krasnoyarsk e Irkutsk, na Sibéria, e Yakuzia.

 

Estamos diante de uma catástrofe ambiental sem precedentes que terá consequências terríveis para todos nós.

Os processos de combustão estão emitindo gases poluentes incluindo óxidos de nitrogênio, monóxido de carbono e outros compostos orgânicos.

Desde o início de junho, os incêndios que estão destruindo o Ártico lançaram mais de 100 milhões de toneladas de dióxido de carbono no meio ambiente: um número que corresponde às emissões anuais de nações como Suécia ou Bélgica.

O CO2 vem dos troncos de árvores que estão em chamas e dos solos de turfa, depósitos de carbono naturais, e o aumento do dióxido de carbono na atmosfera contribui maciçamente para o aquecimento global.

Além disso, teme-se que os incêndios possam acelerar o derretimento do gelo no Ártico, um fenômeno que poderia trazer à luz bactérias e vírus que não conhecemos e que despejariam nos oceanos uma enorme massa de água doce capaz de mudar para sempre a Corrente do Golfo, um fluxo de água que influencia o clima e permite que os europeus e norte-americanos vivam em um clima temperado.

Como afirmado por Vladimir Chuprov, chefe do programa de energia do Greenpeace na Rússia.

“A mudança climática leva a consequências inesperadas e desagradáveis; estamos afogando e queimando ao mesmo tempo.”

É um círculo vicioso: o aquecimento global leva à mudança climática que, além de causar catástrofes ambientais, aumenta ainda mais a temperatura e, consequentemente, aumenta o risco de outros desastres ambientais.

Chuprov acrescentou que:

“Para evitar cenários catastróficos, é necessário reduzir as emissões de gases de efeito estufa: parar a queima de petróleo, carvão, gás, prevenir incêndios, restaurar florestas e mudar nossos hábitos relacionados ao desperdício de recursos do planeta.”

Embora ainda haja quem negue a mudança climática, seus efeitos são mais que visíveis e esse terrível incêndio que está afetando o Ártico é um exemplo disso, e sobre o qual não devemos ficar indiferentes, porque diz respeito a todos nós.

A questão ambiental deve se tornar prioridade e devemos agir com urgência para conter os danos causados ​​pelo homem no planeta: nossa sobrevivência está em jogo.

Talvez te interesse ler também:

BOLSONARO QUESTIONA ASSASSINATO, MAS MPF ABRE INVESTIGAÇÃO PARA APURAR MORTE DO CACIQUE EMYRA WAJÃPI

COCA E PEPSI: ATÉ 2025 SOMENTE EMBALAGEM RECICLÁVEL, REUTILIZÁVEL OU COMPOSTÁVEL

QUANTOS ATIVISTAS SÃO MORTOS A CADA SEMANA POR DEFENDER O PLANETA

greenMe.com.br é uma revista brasileira online, de informação e opinião Editada também na Itália como greenMe.it
Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Instagram
Siga no Facebook