No Piauí: uma outra economia com uma outra moeda, o Cocal

  • atualizado: 
cocal

A carência de algo pode representar duas coisas: uma possibiildade de reclamar ou a oportunidade de fazer algo diferente. Pois os moradores da cidade de São João do Arraial, no Piauí, preferiram ficar com a segunda opção.

Tudo começou por que o município não tinha nenhuma agência bancária, há oito anos.

Isso significava que os moradores tinham que se deslocar de cidade para ter acesso ao dinheiro e a economia do munícipio acabava não girando por causa dessa “falta”. Acontece que foi a partir dessa limitação que surgiu a ideia de criar uma moeda local. Isso resolveria, parcialmente, a questão da ausência de agências bancárias e estimularia economicamente São João do Arraial.

Foi assim que nasceu o cocal, a moeda local que só circula no município e que virou caso de sucesso, não somente em termos de economia, mas também de segurança.

Atualmente, a cidade conta com cerca de 7 mil moradores. E boa parte deles utiliza o cocal para fazer compras ou empréstimos, receber o Bolsa Família e até mesmo o salário.

A moeda local é aprovada pelo Banco Central e conta com maior poder de compra do que o Real. Apesar de ter o mesmo valor que a moeda de praxe dos brasileiros, para cada cocal emitido há um real no banco de cocais, a organização financeira comunitária que atua na cidade.

Vale lembrar que São João do Arraial continua não contando com agências privadas ou públicas. A cidade segue o modelo comunitário e o cocal já representa cerca de 30% do dinheiro circulando no munícipio.

Essa boa ideia rendeu ótimos frutos. São João do Arraial conta com uma estatística de dar inveja a qualquer outra cidade: em 2016 não registrou nenhum assalto ou homícidio, e em 2015, apenas duas ocorrências. O munícipio agora conta com três policiais por plantão. E se sente segura. Não tem nem como duvidar disso!

Leia mais sobre Green Economy:

seta

A HISTÓRIA DA ANA DO MEL: UM EXEMPLO DE VIDA E SUSTENTABILIDADE

setaMULHERES DE FIBRA: PROJETO ECOSSOCIAL, RENDA E PRESERVAÇÃO DA NATUREZA

setaMOEX: A MOEDA SOCIAL DE CANAVIEIRAS