Respirar o ar de São Paulo dá no mesmo que fumar

  • atualizado: 
poluição atmosférica

Mora em São Paulo e não fuma? Uma notícia desagradável chega de uma pesquisa inédita que compara a exposição ao ar poluído com os impactos do tabagismo na vida daqueles que moram na maior capital do país.

Segundo os dados obtidos em preliminar pelo O Estado de S. Paulo, e divulgados pelo UOL, 2 horas de exposição à poluição atmosférica no trânsito desta cidade, equivale a fumar um cigarro em termos de danos à saúde. 30 anos morando em São Paulo faz de quem não fuma, ser igualando a um fumante leve, ou seja, aquele que fuma menos de dez cigarros por dia.

Parece pouco, mas é preciso pensar no seguinte: mesmo sem fumar, o indivíduo passa a ter os mesmos riscos que o de um fumante.

Esses dados passam a ter um peso ainda maior, quando cruzados com informações da Organização Mundial de Saúde que indica: a poluição do ar em São Paulo encontra-se em uma proporção duas vezes superior ao limite seguro estabelecido pela instituição.

Leia também: ESTUDO DA OMS ALERTA SOBRE ALTOS NÍVEIS DE POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA

A PESQUISA

A pesquisa liderada pelo médico paulista Paulo Saldiva, procurou relacionar a poluição do ar aos impactos do cigarro na vida das pessoas, através da análise de quantidade de carbono e seus danos aos pulmões em ambas as situações, isto é, de pessoas falecidas que tinham o hábito de fumar e aquelas que, não fumando, ficavam expostas à poluição do ar na capital paulista.

Os dados da pesquisa ainda encontram-se em elaboração final. Porém, foram disponibilizadas antecipadamente ao jornal, devido ao encontro de meio ambiente, patrocinado pela ONU, em dezembro de 2017, cujo tema é justamente a luta antipoluição.

A preocupação da organização tem por base o seguinte dado: aproximadamente 7 milhões de pessoas morrem a cada ano, devido a doenças provocadas pela poluição do ar, que, inclusive, está afetando a qualidade de vida das pessoas que têm, em muitos casos, de fazer uso de máscaras e precauções diversas para minimizar o contato com o ar.

POLUIÇÃO TEM A VER ATÉ COM A OBESIDADE

Pesquisas vêm apontando dados bastante preocupantes também relacionados à poluição do ar, porém não relacionados apenas aos aspectos respiratórios. Vêm sendo investigados as implicações da poluição com relação à obesidade, pela inibição da saciedade da pessoa, assim como deficiência de absorção de vitamina D pelo organismo. Isso ocorre porque há uma espécie de ‘camada’ de poluição, que impede que os raios solares exerçam seu papel de ajudar na absorção pelo organismo desse nutriente.

A poluição também ajuda na aceleração do progresso de doenças neurodegenerativas como Alzheimer e Parkinson e maior risco de crianças nascerem prematuramente ou com baixo peso.

Repensar o modelo atual que estamos adotando em nossas vidas é fundamental para manter nossa saúde e de todos que habitam no planeta!

O que fazer diante da revelação de que 120 minutos respirando em São Paulo transformam você, morador de São Paulo, em um fumante? Deixe seus comentários.