Leões, iguana, lula, escorpião e outros: os vencedores do Wildlife Photographer of the Year 2014

Leões, iguana, lula, escorpião

Uma alcateia de leões descansando na Tanzânia. Uma foto em preto e branco ganhou o título de "Wildlife Photographer of The Year 2014". Anteontem, em Londres, a Duquesa de Cambridge Kate Middleton premiou os vencedores do concurso anual de fotografias da natureza organizado pelo Museu de História Natural de Londres e pela BBC.

A 50ª edição reconheceu a primazia do Michael "Nick" Nichols que seguiu uma alcateia de leões no Parque Nacional Serengeti por quase seis meses. A foto mostra cinco fêmeas em repouso com seus filhotes. A foto venceu sobre outras mais de 42 mil fotos candidatas provenientes de 96 países.

Abaixo estão as imagens vencedoras nas outras categorias.

Com apenas a 9 anos de idade, o espanhol Carlos Perez Naval ganhou o prêmio dedicado aos jovens com menos de 10 anos de idade, com seu escorpião ao sol.

O chileno Francisco Negroni ganhou o prêmio na categoria Earth's Environments com esta foto que retrata o espetáculo dos raios em torno a uma erupção do vulcão Puyehue.

O sueco Anton Lilja foi o vencedor da categoria 15 a 17 anos, com a foto que mostra o acasalamento de duas rãs.

O norte-americano Alex Badyaev foi o homenageado da categoria Mamíferos por ter imortalizado um rato (Tragulus napu) em pé sobre um cogumelo em Montana ocidental.

Bruno D'Amicis se destacou na categoria World in Our Hands. Sua imagem retrata um adolescente na Tunísia com uma raposa Fennec entre suas pernas, pronta para a venda. Uma prática ilegal, mas comum no país.

Vencedor na categoria 11 aos 14 anni, Will Jenkins estava em férias na Costa Rica, quando uma iguana verde caiu do telhado e ficou imóvel por 20 minutos, todo o tempo do mundo para se deixar fotografar.

Edwin Sahlin fotografou este gaio-comum durante as férias com a família no norte da Suécia.

No Equador, Jan van der Greef fotografou o único pássaro no mundo com o bico mais comprido que o corpo (excluindo a cauda): o beija-flor bico-de-espada.

Fabien Michenet, durante um mergulho noturno nas águas profundas do largo da costa do Taiti, ficou fascinado por esta jovem lula de apenas três centímetros de comprimento, que flutuava imóvel cerca de 20 metros abaixo da superfície. Seus olhos eram órgãos bioluminescentes. Sua foto foi premiada na categoria Underwater Species.

Fonte fotos: BBC e NHM