Técnica ecológica alemã enriquece madeira sustentável

tratamento especial faze madeira super-resistente

Uma empresa alemã desenvolveu um tipo de tratamento especial que produz, como resultado, um tipo de madeira super-resistente e, inclusive, à prova de chuvas.

A temperatura superior aos 200º durante um período de três dias, concede à madeira características especiais. O calor, adicionado à aplicação de uma cera, propiciam maior resistência à madeira, que faz com que uma madeira, como o pinho, tenha as mesmas propriedades de madeira retirada de mata virgem, em zona tropical.

Resistência ao peso e à água é importante porque, ao mesmo tempo que favorece uma maior durabilidade do material, permite que seja implantada em áreas externas de construções. Esse material, cujas fibras são tratadas com cera especial, se torna um excelente substituto à madeira virgem.

Usos da madeira tratada

Esse tipo de madeira pode ser instalado em bancos de locais públicos e outras superfícies ao ar livre. Detalhe, a tábua da madeira enriquecida, tem resistência para suportar até mesmo uma pressão de 600 kg – e mesmo assim, a cola da cera que se entranhou na fibra da madeira, graças ao calor e à pressão do tratamento, suportou bem o impacto de mais de meia tonelada.

Tanta inovação se transformou em um negócio altamente lucrativo, que se converteu em um opulento parque industrial. Essas tábuas são produzidas em áreas de manejo florestal, ou seja, gozam de toda a estrutura de sustentabilidade.

Sustentabilidade da madeira tratada é reconhecida

A iniciativa recebeu uma série de reconhecimentos em favor da sustentabilidade. Mesmo porque, é importante destacar, a cera não leva qualquer produto químico.

Por isso, caso seja necessário descartar a madeira, pode ir para o lixo comum, por ser ecologicamente correta.

Esse tipo de madeira tem sua comercialização restrita aos territórios da própria Alemanha, da Suíça e da Áustria. Contudo, a empresa tem planos de crescimento para sua produção e visa exportar para diversos mercados mundiais.

Fonte: dw.de

Fonte foto: freeimages.com