Poluição atmosférica: Chile adota estado de emergência ambiental

chile poluicao

Por conta da Copa América que está sendo disputada neste mês de junho, o Chile virou o centro das atenções do futebol no continente americano e a boa campanha da primeira fase do país sede anima o povo chileno, mas, infelizmente, outro tema sem motivo algum para celebração, tomou conta do Chile, os altos índices de poluição atmosférica. A poluição é tamanha que o governo da região metropolitana de Santiago, capital do Chile, decretou no último dia 21 estado de emergência ambiental e forçou a paralisação de mais de 3.000 indústrias poluentes, além de retirar aproximadamente 40% dos 1,7 milhão de carros das ruas da cidade.

Os habitantes da região também foram instruídos a não realizar exercícios físicos ao ar livre. E não somente os cidadãos chilenos receberam instruções e cuidados, mas também os jogadores das seleções presentes na competição, cuidado excessivo para preservar craques internacionais como Lionel Messi da Argentina.

Assim como o Brasil, o Chile também atravessa um grave período de estiagem, do qual, segundo o Ministério do Meio Ambiente chileno, tem neste mês de junho o mais seco dos últimos 40 anos, sendo este o principal responsável pela poluição em grande escala, com alta concentração de poluentes. O índice de material particulado fino (PM 2.5), que é associado a doenças cardíacas e a danos ambientais, atingiu níveis preocupantes.

A última vez que o estado de emergência por conta de poluição ambiental foi acionado no Chile foi em 1999. O estado dura 24 horas, podendo ser estendido caso os índices de poluição continuem inalterados. Todos os motoristas que desobedecerem o estado de emergência serão multados, sendo que cerca de 250 multas foram aplicadas aos motoristas que não respeitaram a determinação somente até às 12 horas da implantação da limitação de tráfego de veículos.

Na cidade de Santiago do Chile, foi registrado o maior índice de poluição do ar em toda a América Latina. O nível registrado na capital chilena foi de 209, enquanto que em São Paulo, na mesma hora do dia 22 de junho, o nível de poluição atmosférica era de 92.

E para encerrar, uma informação aos que estão preocupados com o jogo da seleção brasileira e das outras equipes: podem ficar tranquilos que a Conmenbol já informou que não haverá alteração na data dos jogos por conta da poluição atmosférica no Chile.

Leia também: Paris: o ar poluído da Cidade Luz é comparável ao fumo passivo

Fonte foto: emol.com