ONU revela que até 2050 a cada três pessoas, duas sofrerão com falta d'água

agua onu

Em 2050, precisará haver água suficiente para ajudar a produzir os alimentos necessários para alimentar a população mundial, que deve chegar aos nove bilhões de pessoas. Mas o consumo excessivo, a degradação e o impacto das alterações climáticas, reduzirão o abastecimento de água em muitas regiões, especialmente nos países em desenvolvimento. Este foi o alerta da FAO e do Conselho Mundial da Água (WWC) em um artigo publicado no último dia 14.

Para um futuro seguro com água e comida, é preciso que haja políticas e investimentos dos governos por parte dos setores público e privado para assegurar que as colheitas, gado e peixes sejam produzidos de forma sustentável e de maneiras também destinadas a salvaguardar os recursos hídricos.

Tais ações são essenciais, a fim de reduzir a pobreza, aumentar a renda e garantir a segurança alimentar para muitas pessoas que vivem em áreas rurais e urbanas, as tensões de papel.

"A segurança alimentar e a água são indissociáveis. Acreditamos que através do desenvolvimento de abordagens locais e fazendo os investimentos, os líderes mundiais não podem garantir que haverá volume de água suficiente, a qualidade e o acesso para atender a segurança alimentar em 2050 e até além", disse Benedito Braga, presidente do Conselho Mundial da Água, por ocasião do lançamento do papel no 7º Fórum Mundial da Água, em Daegu e Gyeongbuk, Coréia do Sul, que acontece entre 12 e 17 de abril.

"A essência do desafio é a adoção de programas que envolvem investimentos em retornos de longo prazo, tais como a reabilitação de infraestruturas. A agricultura tem de seguir o caminho da sustentabilidade e não o de rentabilidade imediata", acrescentou Braga. 

A agricultura ainda será responsável ​​pelo maior consumo de água, exatamente como é hoje, só que com mais pessoas no mundo.

Mesmo com o aumento da urbanização, em 2050, grande parte da população mundial e a maioria dos pobres continuará a ganhar a vida na agricultura. No entanto, o setor verá o volume de água disponível reduzir, devido à grande demanda por água nas cidades e da indústria.

Como tal, através da tecnologia e práticas de gestão, os agricultores, especialmente os pequenos produtores, terão que encontrar maneiras de aumentar a sua produção na terra e água disponível. 

Atualmente, a escassez de água afeta mais de 40% das pessoas no mundo, e até 2050 este número deve aumentar para dois terços da população, criando o cenário em que dois em cada duas pessoas não sofrerão com a escassez de água.

Isto acontece principalmente pelo consumo excessivo de água para produção de alimentos e agricultura. Por exemplo, em grandes áreas do sul e do leste da Ásia, no Oriente Médio, Norte da África e do Norte e América Central, muito mais água subterrânea é usada do que pode ser reposta naturalmente.

Em algumas regiões, a agricultura intensiva, o desenvolvimento industrial e as cidades em crescimento são responsáveis ​​por poluir as fontes de água, acrescenta o estudo

O artigo exige que as políticas e os investimentos para reforçar a adaptação aos níveis de bacias hidrográficas e de uso doméstico, como a melhoria das instalações de armazenamento de água, captação e reutilização de águas residuais, bem como a pesquisa que gera sistemas de produção agrícolas mais resistentes para os pequenos agricultores, saiam do papel antes que seja tarde demais.

Leia também: Os 10 alimentos que mais consomem água para serem produzidos

Fonte foto: worldwaterforum7.org