Nem vegetariano nem carnívoro, ou seja, demetariano

demetariano

Nem 8 nem 80! Talvez fosse melhor se nos tornássemos demitarianos, ou seja, cortar o nosso consumo de carne pela metade.

Conforme uma pesquisa feita pela Comissão Econômica pela Europa, das Nações Unidas, diminuindo o consumo de carne e derivados do leite pela metade, obteríamos uma redução entre 25 e 40% na emissão do óxido nitroso da fonte agrícola. Este gás de efeito estufa incide sobre o aquecimento global mais do que o dióxido de carbono, além de poluir rios e mares causando o aumento excessivo de algas.

O estudo intitulado Nitrogen on the Table argumenta que além do benefício sobre o meio ambiente, a dieta demetariana contribuiria também para a saúde, pois reduziria em 40% o consumo de gordura saturada, diminuindo os problemas do colesterol e da obesidade.

A indicação da pesquisa porém, não agradaria a todos. Na turma dos descontentes estaria, obviamente, os criadores de animais para abate e os vegetarianos.

Em termos ambientais, diz a pesquisa, não importa se se consome ou não carne e laticínios mas sim, em que quantidade se consome estes alimentos. Insistir para que as pessoas se tornem vegetarianas pode ser contra produtivo, enquanto pedir para que elas apenas reduzam o consumo de produtos de origem animal, pode levar a resultados melhores.

Para quem não consegue viver sem carne mas se importa com as questões ambientais, eis uma boa notícia. Os vegetarianos no entanto, além da questão ambiental consideram que a exploração e a violência animal devem ser evitadas a todo o custo. No que têm toda a razão, cá para nós! Porém, desde que o mundo é mundo, somos feitos de diferenças e o importante é nos respeitarmos, certo?

Fonte foto: freeimages.com