Paraná destaca-se na produção de alimentos orgânicos certificados

  • atualizado: 
orgânicos

Você sabia que o estado do Paraná é o maior produtor de alimentos orgânicos do Brasil, além de ser o segundo com o maior número de propriedades certificadas para a produção de orgânicos?

O Paraná tem 1.966 propriedades que produzem alimentos orgânicos, segundo atesta o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, ficando atrás somente do Rio Grande do Sul. A sua produção é de 130 mil toneladas de alimentos por ano. Esse desempenho acontece porque o estado é o único do país que oferece um programa público de capacitação para os produtores e de certificação e auditoria da produção de alimentos orgânicos. Em quatro anos, foram quase 300 propriedades certificadas no estado, segundo informa a UOL.

O programa não só favorece o produtor como toda a população do Paraná, que tem a garantia de ter à mesa produtos de qualidade certificada, sem agrotóxicos, hormônios ou transgênicos. De acordo com o coordenador da Unidade Gestora do Fundo Paraná, Luiz Cézar Kawano: “O programa registra excelentes resultados e contribui para a valorização da produção de orgânicos no estado, por isso estamos trabalhando para a continuidade. Hoje o Paraná tem a maior produção de orgânicos do País, além disso consegue fomentar a inovação tecnológica e a organização de pequenos agricultores para que eles possam melhorar a sua renda e levar à população um alimento de melhor qualidade”.

Certificação de qualidade

Sete universidade paranaenses estão envolvidas no curso de capacitação para os agricultores interessados na produção orgânica de alimentos. A propriedade produtora deve seguir diversas normas, como o uso de técnicas agroecológicas, a abolição dos agrotóxicos e a adoção do comércio justo. Com o trabalho dos técnicos, o produtor e sua família se sentem mais seguros em fazer a troca metodológica de plantio. São três as categorias de alimentos orgânicos certificadas: origem animal, vegetal e em processamento.

O programa também ajuda a fortalecer a agricultura familiar, que é de suma importância social e economicamente para o país. Segundo Rogério Barbosa Macedo, coordenador do Núcleo de Estudos de Agroecologia e Territórios da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP): “Não queremos substituir o agronegócio, mas dentro do escopo da agricultura familiar ao lado do agronegócio é possível ter uma produção de orgânicos que traga mais renda, mais saúde e mais satisfação ao pequeno produtor”.

Os agricultores recebem um incentivo financeiro já que são cadastrados em programas públicos, como a venda de produtos para a merenda escolar e o Programa de Aquisição de Alimentos, do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário.

Essa iniciativa mostra como é possível, com o apoio de políticas públicas, fazer com que todos nós tenhamos a certeza de que estamos consumindo produtos saudáveis e que os agricultores estejam livres dos efeitos de agrotóxicos. Todo mundo sai ganhando com a produção orgânica de alimentos.

Especialmente indicado para você:

CONHEÇA UM PROJETO QUE AJUDA PEQUENOS AGRICULTORES E VOCÊ

OMS: 5 AGROTÓXICOS CLASSIFICADOS COMO CANCERÍGENOS PARA OS SERES HUMANOS

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!