Contra a obesidade infantil: Espanha vai proibir publicidade de alimentos não saudáveis às crianças e jovens

Contra a obesidade infantil: Espanha vai proibir publicidade de alimentos não saudáveis às crianças e jovens

Na Espanha, o Ministério do Consumidor vai proibir a publicidade de alimentos e bebidas não saudáveis. A restrição usará medidas da OMS com base no que pode ou não ser mostrado aos jovens e crianças nas redes sociais, internet, aplicativos, TVs e rádios.

O ministro do Consumidor, Alberto Gazón, explicou ontem, 5, que o chamado “Código Paos“, meio de autorregularização da indústria alimentícia, se mostrou insuficiente.

Garzón optou por usar um decreto para reduzir os índices alarmantes de obesidade infantil na Espanha.

Semáforo para alimentos

A classificação dos índices alarmantes para alimentos e bebidas é baseada em valores nutricionais, uma espécie de “semáforo para alimentos“.

A regulamentação deve entrar em vigor no próximo ano e afetará cinco categorias de produtos que serão proibidos de ser anunciados para menores.

Os produtos incluídos na proibição vão de

  • chocolates a balas;
  • biscoitos;
  • sobremesas;
  • sucos;
  • e sorvetes.

Segundo o nutricionista Juan Revenga, a OMS publicou um documento em 2015 que estabelecia os níveis máximos de açúcar, gordura e sal em produtos anunciados para crianças. Poderiam ser anunciados os alimentos que não ultrapassassem uma quantidade determinada de 100 g destes elementos. Os mais prejudiciais à saúde não seriam anunciados.

Regras

De acordo com o relatório do ministério, a publicidade de produtos não saudáveis será proibida o dia todo nos canais infantis da TV. Redes sociais, aplicativos, internet e mídia impressa não terão publicidade voltada para menores de 16 anos.

Combate à obesidade infantil

Com estas medidas de proibição, o governo da Espanha pretende combater a questão da obesidade infantil no país.

Um estudo realizado pela Agência Espanhola de Nutrição e Segurança Alimentar (AESAN), mostra que na maioria dos casos de obesidade em crianças, os pais dessas crianças com excesso de peso não consideram o problema realmente um problema e, frequentemente, consideram o peso dos filhos normal ou algo como “acima do peso”.

De acordo com outro estudo, Aladino 2019, as pesquisas com crianças de seis a nove anos na Espanha, mostram um resultado onde 40,6% dos menores estão acima do peso recomendado, 23,3% têm sobrepeso e 17,3% são obesos.

No Twitter, o Ministério do Consumidor afirmou:

“Na Espanha, uma em cada três crianças tem sobrepeso ou é obesa. A publicidade é uma das causas deste número”.

Talvez te interesse ler também:

Reino Unido proíbe guloseimas nos caixas do supermercado para combater a obesidade infantil 

Incrível aumento de cirurgia bariátrica no Brasil: obesidade e riscos 

Em votação histórica no Congresso, Argentina aprova lei de rotulagem em alimentos ultraprocessados 

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *