Comer mal mata mais do que fumar, diz estudo

Comer mal mata mais do que fumar, diz estudo

Todos os anos no mundo, uma em cada cinco mortes pode ser atribuída a um estilo alimentar incorreto, no qual as bebidas açucaradas predominam e os legumes e grãos integrais são escassos. Independentemente de qualquer excesso de peso, a má alimentação desenvolve doenças crônicas, especialmente doenças cardiovasculares e diabetes, podendo até levar à morte.

É a sentença que vem de cerca de 130 cientistas de quase 40 países ao redor do mundo que, coordenados por Ashkan Afshin, do Instituto de Medição e Avaliação da Saúde da Universidade de Washington, chegaram à conclusão de que um quinto das mortes poderia ser evitado, simplesmente adotando uma dieta saudável.

Definida como “a análise mais completa dos efeitos da dieta na saúde”, a pesquisa, publicada no The Lancet, não é sobre a obesidade, dizem os acadêmicos, mas sobre as dietas de “baixa qualidade” que danificam o coração e causam câncer, tornando nosso estilo alimentar um assassino mais perigoso do que fumar.

Especificamente, as dietas consideradas perigosas analisadas são aquelas que contêm:

  • Excesso de sal (três milhões de mortes);
  • Poucos grãos integrais (três milhões de mortes);
  • Poucas frutas (dois milhões de mortes);
  • Baixos níveis de nozes, sementes, vegetais, ômega 3 e fibras.

“Acreditamos que a dieta é um dos principais impulsionadores da saúde no mundo”, diz Christopher Murray, diretor do Instituto de Métricas de Saúde e Avaliação da Universidade de Washington.

O estudo

Já em 2017, Ashkan Afshin tinha elaborado um relatório mundial sobre a obesidade. Agora, a partir deste novo trabalho – focado nas ligações entre dieta e patologias crônicas – descobriu-se que uma dieta alimentar inadequada foi responsável por 10,9 milhões de mortes (contra 8 milhões de mortes associadas ao tabaco e 10,4 milhões de hipertensão), igual a 22% das mortes registradas entre os adultos.

A primeira causa são as doenças cardiovasculares, seguidas por tumores e diabetes. Além disso, uma dieta incorreta foi responsável por 255 milhões de anos perdidos devido à morte prematura causada por uma doença ou porque vividos com deficiências (DALYsDisability-Adjusted Life Year).

causa mortis

Em particular, de acordo com o estudo, em 2017 as doenças cardiovasculares foram a primeira causa de morte devido a uma dieta errada (cerca de 9,5 milhões de mortes) e de Dalys (207,2 milhões), seguidas de câncer (mais de 900 mil mortes e 20,2 milhões de Dalys), diabetes (mais de 330 mil mortes e 23,7 milhões de Dalys) e patologias renais (mais de 130 mil mortes e 3,4 milhões de Dalys).

Entre os 20 países mais populosos do planeta, em 2017, o Egito oi o país com a maior taxa de mortes relacionadas à dieta e o maior número de Dalys, enquanto o Japão é o oposto.

O efeito de fatores dietéticos individuais é certamente variável de país para país, mas para todos existem hábitos errados que preocupam mais da metade das mortes: baixa ingestão de grãos integrais, pouca fruta, alto consumo de sal. Outra metade das mortes e 34% dos Dalys são reduzidos a um alto consumo de carne vermelha, carnes processadas, bebidas açucaradas e ácidos graxos trans.

morte dietas 1

mortes dietas 2

“A adoção de dietas que favoreçam os alimentos à base de soja, feijão e outras fontes de proteína vegetal trará benefícios importantes para a saúde humana e para o meio ambiente”, diz Walter Willett, professor de Harvard e co-autor do novo trabalho. Enquanto o sal, o açúcar e a gordura estiveram no centro do debate sobre políticas alimentares nos últimos anos”.

Em suma, a análise indica que os fatores dietéticos que causam mais risco de morte são a alta ingestão de sódio, o baixo consumo de grãos integrais, frutas, legumes, leguminosas, frutas secas, nozes e sementes. A solução? Reduzir o uso do sal de cozinha, aumentar o consumo de frutas e legumes e incluir frutas secas e grãos integrais na dieta! Não é tão difícil assim. Bastaria cozinhar mais e comprar menos comida pronta, industrializada!

Talvez te interesse ler também:

ECONOMIA E SAÚDE: MAIS MARMITAS E MENOS RESTAURANTES

VOCÊ ESTÁ SEMPRE COM FOME? FIQUE DE OLHO NO ÍNDICE GLICÊMICO

MAIS COGUMELO, MAIS MEMÓRIA E INTELIGÊNCIA, REVELA PESQUISA

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *