A descoberta da causa da síndrome da morte súbita infantil pode estar na serotonina

  • atualizado: 
morte súbita infantil

Síndrome da morte súbita infantil (SMSI), também conhecida como síndrome da morte súbita do lactente (SMSL) ou SIDS (sudden infant death syndrom), na sigla em inglês. Trata-se de uma condição que assusta muitos pais e cujos mecanismos ainda são desconhecidos. Um novo estudo australiano, no entanto, pode vir a confirmar a sua causa desencadeante.

SMSI é a morte súbita de um bebê com menos de 12 anos, cujas causas permaneçam desconhecidas mesmo depois de uma profunda investigação autóptica.

Uma nova pesquisa realizada pelo Boston Children's Hospital e pela Harvard Medical School, publicada no Journal of Neuropathy & Neurology Experimental, encontrou uma ligação entre a morte súbita infantil e a química do cérebro. O estudo confirmou uma ligação entre a serotonina encontrada no cérebro e as crianças mortas de SMSI.
 
Fiona Bright, doutoranda na Universidade de Adelaide, analisou 41 casos australianos de morte por SMSI descobrindo surpreendentes anomalias nos níveis de serotonina (substância química que regula o sono e controla os sistemas cardiovascular e respiratório).

Esta teoria já tinha sido anteriormente demonstrada em um estudo norte-americano sobre a SMSI, mas pela primeira vez, casos australianos também foram analisados ​​e estudados.

"Nossa pesquisa é significativa porque confirmou que as anormalidades da serotonina no cérebro estão definitivamente relacionadas com a SMSI, o que nos ajuda a sustentar a tese da pesquisa norte-americana", disse a Dr. Bright.

O estudo representa uma esperança de evitar esta situação dramática. Espera-se que a pesquisa seja útil para desenvolver um rastreamento, ou “screening”, para determinar os níveis de serotonina no cérebro do bebê no nascimento e prevenir assim a morte súbita em bebês.
 
A pesquisa poderia portanto, ser um grande passo positivo para fazer com que a tragédia da morte no berço se torne apenas uma triste lembrança do passado.

AUSTRÁLIA, UM PAÍS COM GRANDE OCORRÊNCIA DE SMSI

Não é por acaso que este estudo, financiado pelo River’s Gift (associação que apoia pesquisas sobre SMSI), foi desenvolvido na Austrália. Esta nação tem taxas de mortalidade infantil três vezes superiores à de outros países desenvolvidos.

COMO EVITAR A SMSI

Na esperança de havermos testes que prevejam quais bebê correm maiores riscos, lembremos de algumas regras para evitar as mortes súbitas, tanto o quanto possível:

  • Deixar o bebê dormir sempre na posição supina (barriga para cima) no berço dele e de preferência no mesmo quarto que os pais
  • Evitar que o ambiente seja muito quente, a temperatura ideal é de cerca de 20 graus
  • Evite roupas pesadas e cobertores que suam o bebê
  • Use um colchão de tamanho adequado para o berço e não muito macio
  • Tampouco use travesseiros muto macios
  • Evite deixar seu bebê dormir em sofás, almofadas ou brinquedos de pelúcia próximos, almofadas ou brinquedos macios
  • Não fume em casa

E por fim, verificou-se também que as crianças amamentadas têm menos risco de sofrerem morte súbita.