Japonesa perde status de princesa para se casar com “pobre”

Japonesa perde status de princesa para se casar com “pobre”

Assuntos relacionados a famílias reais no mundo sempre causam manchetes nos meios de comunicação. Agora, do Japão, temos a notícia que a princesa Mako abriu mão da realeza para casar com um cidadão humilde, mas que lhe despertou imenso amor.

Esse tema serve como excelente reflexão sobre o papel da busca pela felicidade em uma união, para que sejam discutidos os aspectos entre a realização do amor pleno ou a opção pelo poder e dinheiro.

O que diz a lei no Japão quanto à sucessão do trono

Conforme a legislação japonesa, as integrantes femininas da família devem renunciar à realeza, caso se decidam por casar com plebeus. Mako precisou abrir mão de ritos matrimoniais da ordem de 7.2 milhões de reais.

Esse conceito não se aplica aos homens, que são protegidos por uma tradição conservadora e patriarcal.

O principal motivo da decisão da princesa

A princesa Mako conheceu seu noivo, Kei Komuro, ainda na universidade. Desde então foram se aproximando e ambos se apaixonaram.

Um aspecto de pressão sobre o noivo

Durante o romance houve uma pressão bastante intensa, por parte da sociedade japonesa e pela própria família real. Todos exigiam a interrupção do romance, devido a problemas financeiros enfrentados pela mãe de Komuro.

Mako então sofreu impactos psicológicos e teve sua saúde física abalada, decidindo abrir mão da realeza e seguir sua vida junto de seu amado.

E você? O que acha disso? Será que o amor ainda vale a pena ou amor mesmo é dinheiro no bolso e status social?

Deixe seu comentário!

Talvez te interesse ler também:

O amor romântico tem que acabar: só causa dor e frustração

Romantismo ainda importa? Como ser romântico nos dias de hoje

Em Paris, o romântico “Muro do eu te amo”, em todas as línguas do mundo, une casais (e povos)

Fonte e foto: BBC

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *