Turismo em Brasília não é apenas cívico ou arquitetônico. É místico!

Que Brasília é uma cidade diferente das outras cidades brasileiras todo mundo já sabe. O seu estilo urbanístico e arquitetônico chama a atenção dos viajantes, afinal, a maioria das cidades do país cresceu sem planejamento e, também, sem nenhuma preocupação com a beleza. Infelizmente, caminhando pelas cidades onde vivemos não podemos contar com o traço do arquiteto.

Embora muita gente visite a capital federal motivada por interesse cívico ou arquitetônico, outras pessoas procuram Brasília pelo seu misticismo. Também não é para menos: um lugar onde brasileiros de todas as regiões se reuniram para fundar a nova capital do Brasil acabou criando um pout-pourri cultural e religioso.

Diversidade de crenças

A BBC fez uma reportagem especial dedicada a conhecer as diversas crenças que convivem e formam parte do patrimônio cultural de Brasília.

O catolicismo está em todas, como sempre. E também deixou sua marca em Brasília com o seu primeiro padroeiro, padre João Bosco, fundador da ordem católica salesiana no Brasil. Parece que o padre já previra, em 1883, a fundação da cidade no planalto central antes da Constituição de 1891.

O Santuário Dom Bosco, em seu site, conta que Bosco teria sonhado, em 1883, que sobrevoava a região. No sonho, uma voz lhe dizia: “Quando se vier a cavar as minas escondidas no meio destes montes, aparecerá aqui a terra prometida que vai jorrar leite e mel. Será uma riqueza inconcebível”.

Esse sonho bastante místico do sacerdote parece anunciar a aura espiritual de Brasília! Algumas teorias tentam até explicar esse caráter místico do lugar. Segundo o ufólogo Thiago Ticchetti, há quem acredite que Brasília tenha sido construída com a mesma disposição das pirâmides do Egito. Thiago diz que, em 1991, cerca de 25 pessoas avistaram um disco voador sobrevoando o presídio da Papuda. Cinco anos depois, outras pessoas alegaram ter visto um objeto estranho na barragem do lago Paranoá.

Além disso, Brasília está na rota de Alto Paraíso, uma cidade pequena mas que abriga diferentes credos.

Outra doutrina presente em Brasília é a do Vale Amanhecer, que foi criada em 1969 por uma clarividente. O templo principal e os rituais foram idealizados pelas visões que ela teve. A simbologia da doutrina é bastante sincrética: nas orações estão presentes Jesus, Mãe Iara e Iemanjá.

Outro também que está presente na capital federal é Inri Cristo. Segundo o líder espiritual, ele recebeu um recado direto de Deus para instalar, no Distrito Federal, a sua Suprema Ordem Universal da Santíssima Trindade (SOUST), em uma chácara no Gama, cidade-satélite a 40 minutos da Esplanada dos Ministérios.

Estado Laico, Santo Daime e Wicca

Embora muitas crenças coexistam em Brasília, há preocupação quanto à garantia da laicidade na capital brasileira. De acordo com Fernando de La Rocque, antropólogo, fundador do Centro Eclético da Fluente Luz Universal Alfredo Gregório de Melo (CEFLAG) e seguidor do Santo Daime, os espiritualistas defendem agendas políticas comprometidas com o estado laico.

A religião do Santo Daime sincretiza elementos do xamanismo, do cristianismo e do espiritismo, promovendo um diálogo entre a filosofia cristã e a preservação da natureza. Segundo explica De La Roque, o uso do chá ” abre as portas da percepção para onde está o reino de Deus, que Cristo falava que está dentro de nós. Quanto mais você entrar para dentro de si, mais você conhece Deus. Então o chá Daime é esse facilitador, nos limpa, nos coloca em contato com essa dimensão espiritual”.

Outra religião que tem relação com a natureza e que vem ganhando espaço em Brasília é a wicca, uma corrente de bruxaria que organiza rituais periódicos em parques. A wicca acredita na existência de uma deusa e de um deus.

Embora Brasília seja o centro do poder político brasileiro, é um lugar onde a tolerância religiosa é praticada. Mas, infelizmente, essa atitude não vem sendo acolhida na casa legislativa, onde tramitam vários projetos de preconceito à liberdade religiosa. Mas, se, como diz o ditado, a voz do povo é a voz de Deus, esperamos que a tolerância e o respeito sejam sempre os guias daqueles que querem ter o seu espaço de espiritualidade preservado e, também, dos representantes eleitos.

É doutora em Estudos de Linguagem, já foi professora de português e espanhol, adora ler e escrever, interessa-se pela temática ambiental e, por isso, escreve para o GreenMe desde 2015.