©Vanderlei Longo/ Pexels

FUNCIONA! Celular molhou, o que fazer? Coloca no arroz!

É uma cena de terror para muitas pessoas. De repente, o aparelho que contém todos os dados, contatos e informações de uma vida, vai parar embaixo da água.

Por estar o tempo todo perto dos usuários, é comum que os celulares sofram os efeitos de tanta intimidade. É assim que muitos caem no vaso sanitário, dentro da piscina ou na pia da cozinha.

O resultado é puro desespero. Mas existem soluções caseiras e recomendações para evitar que o aparelho eletrônico deixe de funcionar de vez.

Mas vale lembrar, não existe mágica. Provavelmente, um celular que caiu na água vai sofrer algum dano, não tem como escapar. Porém algumas dicas ajudam na hora de salvar o celular de perecer para sempre.

Confira!

Celular e água não combinam

Água e eletricidade definitivamente não combinam. Isso porque a água pode causar um curto-circuito quando em contato com a eletricidade. O risco é até mesmo de ocorrer uma explosão, pois os compostos de íons de lítio da bateria são muito sensíveis e podem explodir com a variação de temperatura. Um acidente desse tipo gera danos, principalmente, nos componentes internos, além de manchas no display.

Não tente ligar o aparelho

Pode parecer interessante ligar o telefone para saber se houve avaria, no entanto, a ideia não é nada boa. Isso pode danificar o aparelho para sempre e aí, tchau, celular.

A primeira coisa a fazer é desligar o eletrônico, remover a bateria, o cartão de memória e o chip para evitar oxidação.

Hora de secar

Com auxílio de um papel toalha, camiseta ou toalha que não solte fiapos, comece o processo de secagem do aparelho, por partes. Nessa etapa, você pode tentar utilizar um secador, mas com cuidado, pois, se usado muito quente, o secador pode acabar descolando componentes internos do smartphone. Já o aspirador de pó pode sugar algum botão ou conector, caso seja aplicado com muita força.

Melhor evitar.

Depois de secar manualmente, há dois caminhos: deixar de 2 a 3 dias em repouso ou recorrer ao velho arroz com feijão, ou melhor, só no arroz e CRU!

Apesar de parecer simpatia, o ato de colocar o aparelho em um recipiente cheio desse tipo de grão pode fazer sim a diferença. Isso porque o arroz cru absorve a umidade. O ideal é deixá-lo assim por pelo menos 24 horas, antes de tentar ligá-lo.

O que não ajuda em nada é expor o celular ao sol, pois a exposição solar pode danificar ainda mais o aparelho.

Agora sim, ligue o aparelho

Depois de feito todos os passos, é hora de ligar o celular. Aqui não tem muito segredo, esse é o momento que você vai ver, de fato, qual foi o dano, porém, muitas vezes, os problemas podem aparecer depois.

Dificilmente, um aparelho eletrônico que caiu na água voltará a ser o mesmo de antes.

Preserve seu celular

A melhor forma de evitar danos ao aparelho eletrônico é cuidando muito bem dele, por isso evite levá-lo em lugares, como mar, piscina ou mesmo no banho.

O vapor da água também causa danos ao celular, mas isso costuma acontecer em longo prazo. Caso o seu smartphone seja à prova da água, isso não significa que ele é bom de mergulho. O cuidado é o mesmo que com outros aparelhos.

Existem no mercado soluções que prometem minimizar ou mesmo evitar danos causados pela água, como capinhas à prova da água, kits para recuperação dos eletrônicos e celulares resistentes.

E, claro, sempre tem a assistência técnica para quem puder pagar por um reparo mais efetivo.

Talvez te interesse ler também:

The Social Dilemma: as dicas para não virar robô e cair no dilema das redes

Risoterapia: rir é o melhor remédio – 10 exercícios para cair na risada

Como limpar a máquina de lavar roupas apenas com produtos naturais

Sobre Cintia Ferreira

Cintia Ferreira
Paulistana formada em Jornalismo pela Universidade de Santo Amaro, tem o blog Mamãe me Cria e escreve para GreenMe desde 2017.

Veja Também

Couve-flor e Brócolis: dois verdadeiros alimentos anticâncer

A couve-flor e o brócolis são dois vegetais da família das couves (Cruciferae ou Brassicae) …