Grande Muralha Verde África
Grande Muralha Verde África

A Grande Muralha Verde: 8 mil Km de árvore para salvar a África

Um projeto inteligente e sustentável conhecido como a Grande Muralha Verde (Great Green Wall) foi iniciado na África em 2007.

Esse maravilhoso projeto consiste no cultivo de uma extensa área verde na África. E uma vez concluído, a vegetação se estenderá por 8.000 km com a finalidade vital de ser fonte de alimentação e proporcionar um futuro melhor para os milhões de africanos que sofrem as consequências das alterações climáticas, devido ao aquecimento global

Grande Muralha Verde: um projeto humanitário, ecológico, pioneiro e épico!

A Grande Muralha Verde ao ser concluída, será a maior estrutura viva da Terra e uma nova Maravilha do Mundo.

Essa muralha verde se inicia na região do Sahel (Tunísia), na fronteira sul do deserto do Saara, um dos lugares mais pobres e áridos do planeta.

muralha verde mapa

O Sahel está entre as áreas que mais sofrem com o impacto devastador dos efeitos do aquecimento global afetando milhões de habitantes com a fome, a seca, disputa por recursos naturais e migração em massa para a Europa para fugir da miséria.

Outros países africanos como Senegal, no Ocidente africano e o Djibuti, no Oriente, também enfrentam essas dificuldades e estão se empenhando em reverter essa situação.

Veja neste vídeo da Globo Play News com os repórteres do Que mundo é esse? mostrando o Senegal e seguindo em uma longa viagem até os limites do deserto do Saara para conhecer a Grande Muralha Verde, uma ação de 11 países africanos para conter o avanço do deserto e resolver o problema da seca e fome nestes territórios.

Essa iniciativa africana tem apresentado progressos e mudanças significativas nessas regiões, aumentando as possibilidades para uma vida melhor com mais alimentos, empregos, saúde, natureza, estabilidade material e preservação ambiental.

A Muralha Verde se iniciou como uma ação pioneira da União Africana de criar paisagens verdes e tornar produtivo o solo africano, abrangendo territórios como o Norte da África, o Sahel e o Chifre.

Áreas abrangidas pela Grande Muralha Verde

Atualmente, a Grande Muralha Verde se expandiu e envolve mais de 20 países da região Sahelo-Saariana, que são: Argélia, Burkina Faso, Benin, Chade, Cabo Verde, Djibuti, Egito, Etiópia, Líbia, Mali, Mauritânia, Níger, Nigéria, Senegal, Somália, Sudão, Gâmbia, Tunísia.

Como nasceu essa ideia?

A semente dessa ideia surgiu em 1952, durante uma expedição nessa área, na qual Richard St.Barbe Baker, propôs criar uma “barreira verde” para impedir o avanço do deserto.

A ideia dele foi relembrada em 2002 na cúpula de N’Djamena (Chade), por ocasião do Dia Mundial de Luta contra a Desertificação e a Seca e em 2005 foi apresentada e aprovada pela Conferência dos Chefes de Estado e de Governo da Comunidade de Estados do Sahel e do Sahara, durante o Sétimo Período Ordinário de Sessões, realizado em Ouagadougou (Burkina Faso).

Muralha Verde, um empreendimento Green Economy

Esse empreendimento de economia verde, Green Economy, tem o objetivo de promover o desenvolvimento de comunidades autossustentáveis com atividades agrícolas, econômicas, com base no desenvolvimento ambiental.

O objetivo desse empreendimento é restaurar a produtividade das florestas e dar condições para os habitantes dessa região de enfrentarem os desafios das mudanças climáticas.

A Grande Muralha Verde está sendo formada pelo plantio de acácias, árvores que suportam regiões áridas, sendo resistentes à seca, pois, suas raízes acumulam água.

Essa grande ala verde se estenderá a 8.000 km de comprimento, 15 km de largura, a princípio visando arborizar 11 países africanos.

Atualmente, esse projeto concretizou 15% de sua meta, mas já está apresentando muitos benefícios nos países envolvidos.

Confira neste vídeo, da BBC News Brasil, a transformação positiva que está ocorrendo em um deses países: o Senegal.

No Senegal, foram plantadas árvores em cerca de 12 milhões de hectares de terra e em outros países africanos como Etiópia, 37 milhões de hectares de terra foram restauradas e na Nigéria, 5 milhões de hectares de áreas degradadas foram vitalizadas.

O site oficial do Great Green Wall sintetiza o objetivo desse empreendimento com a seguinte mensagem:

“A Grande Muralha Verde não é apenas para o Sahel.

É um símbolo global para a humanidade que supera sua maior ameaça, nosso ambiente em mudança.

Isso mostra que se nós podemos trabalhar com a natureza, mesmo em locais difíceis, como o Sahel, podemos superar a adversidade e construir um mundo melhor para as gerações futuras.”

Essa iniciativa está transformando a vida de milhões de pessoas ao fornecer terras férteis, produção de alimentos, geração de empregos, inserção da mulher no campo de trabalho, prevenindo a emigração forçada e apaziguando conflitos locais por terras.

grande muralla verde mulherees

Uma ação com repercussão global

Este vídeo, da ONU Brasil, mostra a importância da repercussão positiva da Muralha Verde a nível global, pois a concretização dessa ação visa evitar que durante a próxima década, 50 milhões de pessoas sejam obrigadas a se deslocarem por causa da desertificação, resultante das mudanças climáticas e do esgotamento dos recursos naturais.

A “Ação contra a Desertificação” é uma iniciativa do Grupo de Estados da África, Caribe e Pacífico (ACP), sendo implementado com o apoio da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), tendo a contribuição financeira da União Europeia.

A incrível a capacidade humana de se reinventar e regenerar!

Essa iniciativa mostra o que a vontade de superar um desafio, a determinação para alcançar um objetivo e a união das pessoas pode realizar, como por exemplo…

Tornar realidade a façanha de transformar um deserto em área verde!

Talvez te interesse ler também:

ONU PEDE POR MEDIDAS MAIS RÍGIDAS PARA EVITAR O AQUECIMENTO GLOBAL

HOMENS QUE REPLANTARAM O DESERTO, RECUPERANDO A FERTILIDADE DO SOLO

YACOUBA, O AGRICULTOR QUE SEMEOU O DESERTO, GANHA O NOBEL ALTERNATIVO. TODOS OS VENCEDORES

Sobre Deise Aur

Avatar
Professora, alfabetizadora, formada em História pela Universidade Santa Cecília, tem o blog A Vida nos fala e escreve para GreenMe desde 2017.

Veja Também

Mundo pós-pandemia: empresários no Reino Unido pedem por economia verde

Empresários britânicos estão defendendo transformar a experiência instaurada pela Covid-19 em algo “green”. De acordo …