Recordes de temperatura nos oceanos devido ao aquecimento global: é como se estivéssemos lançando 5 bombas de Hiroshima a cada segundo

As temperaturas dos oceanos atingiram um novo recorde em 2019, como resultado do aquecimento global que ocorre em nosso planeta.

Para avaliar nosso impacto na Terra, tendemos a levar em consideração apenas a temperatura do ar, mas uma medida muito importante a ser levada em consideração é precisamente aquela ligada ao aquecimento das águas.

De acordo com uma nova análise publicada na revista Advances In Atmospher Sciences, as temperaturas atingidas durante o ano passado nos oceanos do planeta são as mais altas já registradas na história da humanidade.

No entanto, o aspecto mais preocupante que emerge da análise não é o aumento que ocorreu no último ano, mas o que ocorreu a longo prazo. Como os valores relativos a um único ano podem ser influenciados por várias variáveis ​​ou erros instrumentais, é mais importante avaliar a tendência de longo prazo.

Os pesquisadores examinaram, portanto, a tendência registrada no período de 1955 a 1986 e a relativa ao período de 1987 a 2019.

Os resultados mostram que o calor nas águas aumenta a uma taxa acelerada à medida que os gases de efeito estufa se acumulam na atmosfera: a taxa de aquecimento dos oceanos de 1987 a 2019 é, na verdade, 4,5 vezes maior do que no período anterior. Um fato terrível, prova irrefutável da atual crise climática.

De acordo com Lijing Cheng, principal autor do artigo, a responsabilidade por uma taxa tão alta é das emissões dos gases de efeito estufa, que fizeram o oceano absorver uma quantidade incrível de joules, o equivalente a cinco explosões atômicas de Hiroshima por segundo:

“A bomba atômica de Hiroshima explodiu com uma energia de cerca de 63.000.000.000.000 joules”, disse Cheng – “Fiz um cálculo… a quantidade de calor que liberamos nos oceanos do mundo nos últimos 25 anos é igual para 3,6 bilhões de explosões de bombas atômicas em Hiroshima.”

Os gases de efeito estufa emitidos pelas atividades humanas causaram um aumento global das temperaturas nas últimas décadas; mais de 90% do excesso de calor é armazenado nos oceanos, onde ele se acumula.

Como os oceanos são o principal repositório do desequilíbrio energético da Terra, medir a temperatura dos oceanos é útil para quantificar o aquecimento global.

Se, por um lado, as temperaturas medidas nos oceanos nos dizem quão severa é a crise climática, por outro, os efeitos das mudanças no clima pioram.

De fato, o aquecimento das águas, além de prejudicar seriamente a vida marinha, leva a uma exacerbação de fenômenos climáticos extremos, como tempestades e inundações severas, mas também secas e incêndios.

“O aumento do calor aumenta a evaporação e a umidade extra na atmosfera, causando fortes chuvas e favorecendo inundações que levam a um ciclo hidrológico mais extremo e à condições climáticas mais extremas (em particular furacões e tufões). É uma das principais razões pelas quais a Terra experimentou incêndios catastróficos crescentes na Amazônia, Califórnia e Austrália em 2019 (que se estenderam até 2020 para a Austrália)”, escrevem os autores da análise.

Além disso, o superaquecimento dos oceanos contribui para o derretimento das geleiras e o aumento do nível do mar. O nível do mar tem aumentado constantemente na última década e os cientistas estão prevendo um aumento ainda maior no final do século. O nível do mar pode subir até um metro e isso forçaria 150 milhões de pessoas em todo o mundo a abandonar as áreas agora habitadas.

Infelizmente, a situação não mostra evidências de melhorias a curto prazo: os pesquisadores apontam que o aquecimento dos oceanos continuará mesmo que a temperatura média global do ar superficial não cresça mais, porque os oceanos responderiam lentamente a uma estabilização da temperatura atmosférica.

No entanto, os autores concluem que a taxa de aquecimento das águas e os riscos associados a ela seriam muito menores se reduzíssemos as emissões atmosféricas, portanto, é essencial tomar medidas para conter o aquecimento global.

Talvez te interesse ler também:

Aumento do nível do mar: número de afetados será o triplo do até então estimado

Amazônia nunca mais será a mesma: estamos jogando uma roleta russa ambiental, diz pesquisador

Um quadro apocalíptico: países submersos e ciclones tropicais frequentes. O aumento do nível do mar

greenMe.com.br é uma revista brasileira online, de informação e opinião Editada também na Itália como greenMe.it
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Siga no Instagram
Siga no Facebook