100% Favela: a impressora feita de sucata que imprime objetos tridimensionais

  • atualizado: 
Lucas Lima Infill RJ

Da impossibilidade de comprar uma impressora 3D de 17 mil reais, Lucas Lima criou o próprio equipamento a partir de sucata encontrada no ferro-velho. O feito lhe rendeu, no último dia 7, o Prêmio Iniciativa Shell Jovem, programa da gigante mundial do petróleo que seleciona e incentiva financeiramente negócios com potencial de contribuição socioambiental.

Depois de ver seu invento aprovado e premiado, o engenheiro mecânico de 24 anos não parou por aí. Morador do Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio de Janeiro, ele resolveu criar a start up Infill. O nome, que em inglês significa "preenchimento", faz alusão à necessidade de preencher o vazio tecnológico das comunidades por onde circula.

A ideia, segundo Lucas, é:

"ter uma tecnologia 100% favela, mostrar que somos mais do que estatística de violência, somos o futuro".

A meta é que a Infill atue em diversas frentes, não se restringindo à venda de equipamento ou de produtos produzidos com a impressora, mas também oferecendo capacitação tecnológica para jovens moradores do Complexo do Alemão.

Já está programado, para o próximo semestre, um curso gratuito, que inclui o ensino de robótica e uso de plataformas tecnológicas. O plano é abrir outras turmas na sequência, a preços populares.

"Serão projetos que vão ensinar os jovens a se autossustentar e a ganhar dinheiro de uma forma que não seja maçante", explicou Lucas ao Uol.

Talvez te interesse ler também:

EM LONDRES, O LEITE É ENTREGUE EM GARRAFAS DE VIDRO PARA REDUZIR O LIXO PLÁSTICO

O LAPTOP ECOLÓGICO DE BAIXO CUSTO, É DE MADEIRA E FUNCIONA A ENERGIA SOLAR!

FAZER A ÁGUA CHUVA FICAR POTÁVEL USANDO ENERGIA SOLAR. BRASILEIRA RECEBE PRÊMIO DA ONU POR SUA INVENÇÃO

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!