A Hora do Planeta no Brasil e no mundo

Hora do Planeta no Brasil e no mundo

A Hora do Planeta 2015 aconteceu ontem. Trata-se de um movimento iniciado em 2007 contra o aquecimento global criado pela ONG WWF (sigla em inglês para “Fundo Mundial da Natureza”), para mobilizar o planeta em uma ação que consiste no apagar das luzes de casas, prédios públicos e privados no intuito de demonstrar sua preocupação com o futuro da Terra, e que recebe a adesão de vários países, incluindo o Brasil.

A Hora do Planeta neste ano “apagou” vários ícones da civilização moderna europeia por 60 minutos. Segundo dados fornecidos pela WWF mais de 10 mil cidades, de 172 países, participaram do evento.

Entre as edificações mais famosas estão a Basílica de São Pedro, do Vaticano, a Igreja da Sagrada Família, em Barcelona e o Palácio Real de Madri, ambos na Espanha, a Torre Eiffel em Paris, França – lembrando que a capital francesa irá sediar no final deste ano a 21ª Conferência das Partes (COP) da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (UNFCC) – em Londres, Inglaterra, a Garden Bridge e vários outros ícones ficaram no escuro.

Em Berlim, Alemanha, a Catedral de Colônia e Lisboa, Portugal, o escolhido para representar a cidade na Hora do Planeta foi o Castelo São José. Atenas, Grécia, apagou as luzes da Acrópole (onde fica o Partenon) e, para finalizar o continente europeu, a Itália as luzes da Estátua de Davi, em Florença.

Nos outros continentes, destaques para a ponte de Sidney na Austrália, a Times Square em Nova York, EUA, e a Torre Taipei, um dos edifícios mais altos do mundo, localizado em Taiwan.

No Brasil a Hora do Planeta 2015 teve forte adesão.

27 capitais brasileiras, 180 municípios e mais de 600 monumentos apagaram as luzes em prol do movimento simbólico.

É importante esclarecer que são contadas como participantes oficiais somente aqueles que preenchem e enviam um termo de adesão. Pessoas físicas e empresas podem, e devem participar, porém não é possível registrar seu envolvimento.

Dos pontos oficiais contabilizados no Brasil, os principais foram o Congresso Nacional, o Palácio do Planalto e a Catedral Metropolitana, na capital do país, Brasília, o Cristo Redentor no Rio de Janeiro e o Parque do Ibirapuera, o Monumento às Bandeiras, o Teatro Municipal, o prédio da Fiesp na Avenida Paulista e a Ponte Octávio Frias de Oliveira, em São Paulo.

No ano que vem a Hora do Planeta continuará para tentar frear o aquecimento global e os efeitos das mudanças climáticas.

Leia também: WWF: uma Terra não é mais suficiente. Em 2050 precisaremos de 3

Fonte foto: wwf.org