Cauda de dinossauro com penas: uma descoberta histórica

  • atualizado: 
penas-dinossauro-ambra

Uma pena de dinossauro preservada em âmbar, um tesouro para os paleontólogos, fora encontrada em 2015 em um mercado de âmbar em Myanmar, vendida como curiosidade pois acreditava-se que a inclusão na peça fosse de uma planta.

Levado à análise, o fóssil de 99 milhões de anos revelou uma descoberta histórica recentemente publicada na revista Current Biology.

O paleontólogo Xing Lida, da Universidade de Geociências em Pequim estava perseguindo fragmentos de âmbar em um mercado quando uma determinada peça lhe chamou a atenção. Juntamente com os insetos que normalmente a âmbar preserva, havia uma raridade: uma longa cauda de 3,6 cm.

O cientista imediatamente entendeu que tinha encontrado algo especial. Embora não seja a primeira vez que se encontrasse penas preservadas em âmbar, para os cientistas não havia dúvida: não eram plumas de um pássaro pré-histórico, mas de um dinossauro uma vez que a pena estava atacada a um fragmento da cauda. Ciente do tesouro encontrado, Xing entrou em contato com seu colega Ryan McKellar, paleontólogo no Museu Real Saskatchewan, no Canadá.

dinosauro ambra 1

Usando fotografias feitas com microscópios e de uma tomografia computadorizada, os cientistas viram que, ao contrário do Archaeopteryx (uma criatura que viveu há 150 milhões de anos e considerada por muitos pesquisadores como uma das primeiríssimas aves), as vértebras não eram "fundidas” à cauda, fina e flexível, vista pela primeira vez em arranjo 3D.

Como explicaram os pesquisadores à Current Biology, o proprietário da pena não era um pássaro, mas sim um dinossauro, e provavelmente membro de um grupo de pequenos bípedes chamados celurosauri.

dinosauro ambra 2

A descoberta é histórica pois nos dá pistas sobre a evolução das penas.

As penas antes encontradas em âmbar eram de dimensão 2D o que revela muito sobre a anatomia destes animais. Neste novo fóssil, “as vértebras não são fundidas em uma haste, como nas aves modernas e em seus parentes mais próximos", explica MacKellar.

Especialmente indicado para você:

HÁ QUANTO TEMPO O HOMEM POLUI? HÁ 7 MIL ANOS, REVELA UM ESTUDO

OS ANTIGOS EGÍPCIOS ERAM VEGETARIANOS

CAPADÓCIA: DESCOBERTA A “MAIOR CIDADE” SUBTERRÂNEA DO MUNDO