Pika-de-Ili: reaparece na China depois de 20 anos

Pika-de-Ili reaparace na China

É muito fofo, parece um bichinho de pelúcia mas é um animal de verdade e adorável para todos os efeitos. Ochotona iliensis: pika-de-ili é uma espécie de mamífero da família Ochotonidae, endêmica da China, que reapareceu na Ásia com seu focinho peludo. A espécie é prima das lebres e dos coelhos, e foi descoberta nas montanhas do noroeste da China em 1983 por Weidong Li, cientista do Instituto Xinjiang de Ecologia e Geografia, que durante uma pesquisa sobre os recursos naturais e doenças infecciosas, encontrou uma pequena criatura de pelos grossos e uma cara fofa de urso. Aparentemente, a espécie nunca tinha sido identificada antes e então o cientista enviou uma sua amostra à Academia Chinesa de Ciências onde se verificou de fato, tratar-se de uma nova espécie nunca antes vista.

Desde então, registrou-se apenas 29 avistamentos diretos do pika-de-Ili e durante 20 anos, a fofura porém, não tinha mais dado sinal de vida. Até que em 2014, Li resolveu arregaçar as mangas e chamou um grupo de voluntários para tentar achar o pika nas montanhas. E eis que esse focinho fofo ressurgiu.

Os pika, ou "ocotoni", são populares além da Ásia, na Europa Oriental e na América do Norte. Como outras espécies norte-americanas, o pika-de-Ili vive entre 2.800 a 4.100 metros de altura, e se alimenta de gramíneas e plantas montanhosas. O animal é pequeno, tem um corpo atarracado às suas pernas curtas e robustas, orelhas arredondadas e cauda curtissima. Um aspecto de verdade muito simpático.

Pika-de-Ili

Como todos os animais que vivem em altitudes elevadas, é muito sensível às mudanças em seu habitat: na década de noventa a sua população era estimada em 2.000 indivíduos, mas de acordo com a União Internacional para a Conservação da Natureza, desde então, diminuiu de forma constante. Conforme a Lista Vermelha da IUCN e o governo chinês, a espécie é considerada ameaçada de extinção.

Quais são os maiores perigos? Nem precisaria dizer que a intensiva criação de animais pelos pecuaristas e a poluição do ar, poderiam gradualmente acabar com seu alimento vital e colocá-lo em risco de extinção. É por isso que Weidong Li espera que o retorno do pika-de Ili à cena, leve a uma iniciativa para a criação de áreas protegidas.

Leia também: Espécies ameaçadas de extinção na Lista Vermelha crescem ano após ano