IBAMA concede licença de operação para mineroduto, mesmo sob críticas

IBAMA concede licença de operação para mineroduto

Uma polêmica licença de operação foi emitida pelo Ibama. Trata-se do projeto mineroduto Minas-Rio, obra faraônica, de cerca de 529 km, que transportará minério tanto de mina, quanto de unidade de beneficiamento da empresa Anglo American, pelo itinerário entre Conceição do Mato Dentro, em Minas Gerais, até o Porto do Açu, no Rio de Janeiro.

A licença, visualize-a aqui, tem validade de seis anos.

O Ibama, para emitir a licença com celeridade, deixou de lado os relatórios de órgãos de fiscalização do projeto, como uma equipe da Universidade Federal e Minas Gerais – Grupo de Estudos em Temáticas Ambientais – e também do Ministério Público Federal. E por que o Ibama fez isso? Porque ambos identificaram problemas na obra do mineroduto.

Jornalistas percorreram toda a enorme extensão da obra, bem como as 32 cidades que são atravessadas pela mesma, entre Minas e Rio.

O Ministério Público Federal já emitiu uma recomendação oficial contra a concessão dessa licença, sob justificativa de que os condicionantes não foram cumpridos – são as exigências, seja de caráter social, ambiental, estrutural, que um projeto recebe para que possa ser colocado em prática. São mais de 400, no caso do mineroduto, que deveriam ter sido resolvidos, para que houvesse a liberação para a obra.

Falta de água para quem?

Inclusive, em tempos de crise aguda de água em São Paulo, no Nordeste e ameaças em outras regiões do país, o empreendimento, para que tenha seu funcionamento garantido, irá demandar 2.5 milhões de litros de água... por hora! Isso mesmo, tal quantidade daria para abastecer, mais ou menos, 393 mil pessoas. Essa água será extraída do rio do Peixe.

Valores astronômicos

A empresa britânica Anglo American, maior envolvida no projeto, deverá investir 20 bilhões de reais, para uma produção de 26,5 milhões de toneladas de minério de ferro por ano. Exatamente a capacidade máxima de transporte apresentada pelo mineroduto.

Para chegar até esse montante de extração de minério, o mineroduto levará 20 meses, período no qual acomodará o desenvolvimento da extração do minério.

O primeiro (trágico) teste

No dia 24 de agosto fora realizado o primeiro teste para o transporte de carga pelo mineroduto. Um sucesso. Consequentemente, no final do mesmo mês registrou-se uma considerável mortandade de peixes em Conceição do Mato Dentro, no córrego Passa Sete.

E isso é só o começo, já que, com o altíssimo investimento em pesquisa, a Anglo American conseguiu já traçar uma estratégia para chegar a quadruplicar os recursos minerais que explorará no projeto.

Leia também: A nascente do Rio São Francisco secou...

Fonte Foto: fmanha.com.br