Mineirão é o segundo estádio do mundo a receber o maior selo da sustentabilidade

Mineirão é o segundo estádio do mundo

Embora a maior parte das pessoas vá se lembrar somente do triste fim da Seleção Brasileira de Futebol na Copa de 2014, derrotada pela Alemanha em um inexorável 7 x 1, ainda existe ali um motivo para comemorar. Fora do jogo, claro.

O Mineirão, estádio palco da fatídica semifinal da Copa foi laureado com o selo LEED Platinumo mais alto nível internacional de certificação em sustentabilidade.

Para se ter uma pequena ideia da representatividade do reconhecimento, somente o Apogee – Texas, EUA – e agora o Mineirão – em Belo Horizonte – contam com tal distinção, em todo o mundo.

O selo, dado pela ONG Green Building Council Brazil, é importante também porque divulga os princípios da sustentabilidade no mundo inteiro. Agora, o projeto é incentivar outras nações a fazer construções de estádios sustentáveis. O Japão – nação sede das Olimpíadas de 2020 – já procurou o GBC para ficar a par e tornar as instalações de sua competição também sustentáveis.

Medidas que garantiram o selo LEED Platinum

* Reciclagem e reaproveitamento de resíduos da obra;

* 6 mil painéis fotovoltaicos na cobertura do estádio;

* Reaproveitamento de água da chuva, com reservatório de 6 mil metros cúbicos;

* Válvulas de descargas e de torneiras com mecanismo de fechamento automático;

* Uso de madeira proveniente de áreas de manejo florestal;

* Sistema de coleta seletiva de lixo e armazenamento de resíduos sólidos;

* Iluminação eficiente com consumo reduzido e sistema inteligente de energia.

Vantagens econômicas da sustentabilidade do Mineirão

Os estudos da ONG apuraram que o custo de operação do estádio representa 70% do valor da obra, que terá uma validade média de 5 décadas. Por isso, o planejamento, desde o primeiro momento da construção, tendo por base a sustentabilidade, preserva florestas e ainda evita o tão temido superfaturamento de obras – especialidade da classe política brasileira.

Foto: Leonardo Gil

Fonte foto: fotospublicas.com