Crimes ambientais financiam grupos terroristas

  • atualizado: 

Crimes ambientais financiam grupos terroristas

Crimes ambientais, avaliados em cerca de US$ 213 bilhões – aproximadamente R$ 430 bilhões – por ano, tem servido para auxiliar no financiamento de grupos terroristas, milícias e criminosos famosos a ameaçar a segurança e o desenvolvimento sustentável de diversos países, conforme afirma um novo relatório publicado pela PNUMA – Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente – e a INTERPOL – Organização Internacional de Polícia Criminal.

A Crise do Crime Ambiental

Intitulado The Environmental Crime Crisis – “A Crise do Crime Ambiental”, em livre tradução – foi publicado na primeira Assembleia Ambiental das Nações Unidas – UNEA. Nesse evento, procura-se dar total relevância ao combate à criminalidade ambiental, com o auxílio de juristas, de oficiais de justiça e membros seniores da ONU.

Comércio ilegal de carvão vegetal na África

Um grupo terrorista em ação ao leste do continente africano tem ganhos da ordem de US$ 38 a US$ 56 milhões – cerca de R$ 80 a R$ 112 milhões – por ano, com atividades pretatórias ao meio ambiente, conforme informações levantadas pelo texto do documento. Se contarmos toda a África, chegamos ao absurdo montante de US$ 289 milhões – ou R$ 640 milhões – anuais, pelo envolvimento no comércio ilegal de carvão vegetal.

Comércio de marfim e madeira ilegais na África

Produtos à base de madeira e de animais selvagens, avaliados entre US$ 4 e US$ 12.2 milhões – R$ 9 e R$ 25 milhões – a partir da extração do marfim de elefantes no centro-sul da África, o que tem ameaçado algumas populações de elefante por todo o continente.

O relatório aponta um estado de alerta agudo para tal ameaça global, convocando a ações concentradas, bem como sanções legais, de modo a endurecer as ações contra o lucro do crime organizado através do comércio de itens do meio ambiente.

Crimes florestais

Desmatamento ilegal e crimes florestais conquistam entre US% 30 a US$ 100 bilhões – US$ 61 a R$ 205 bilhões – por ano. Esse montante é equivalente a 30 % de todo o comércio de madeira no mundo.

Em certos países tropicais, a estimativa é a de que, entre metade e 90 % de toda a madeira extraída, é de origem ilegal.

Envolvimento da indústria com desmatamento ilegal

Para a indústria de papel e celulose, uma significativa parte de seu abastecimento era decorrente de madeira ilegal, mas transportando-a até zonas de extração de madeira legal, o que enganava as fiscalizações e alfândegas.

Segundo a FAO – Organização pela Alimentação e Agricultura, da ONU – os EUA e a UE importam, anualmente, cerca de 33.5 milhões de toneladas de madeira tropical nas mais diversas formas. Isso responde por cerca de 86% de toda a madeira tropical que dá entrada de forma ilegal, nos países dos dois continentes.

O mais preocupante é que a demanda por carvão vegetal é crescente, o que vem impulsionando o comércio de madeira de grupos armados, incluindo organizações terroristas.

Além de crime, a extração vegetal desencadeia um grande aumento nas emissões de gases responsáveis pelo aquecimento global.

Continue lendo, clicando aqui.

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!