Sobre as novas leis do trabalho rural e o total desrespeito ao ser humano que o executa

  • atualizado: 
trabalhador-rural

Você soube dessa nova proposta de alteração das leis do trabalho no meio rural? Como bem diz Eliane Brum é tal e qual se, daqui há pouco, fosse revogada oficialmente a Lei Áurea que abolia a escravidão em terras brasileiras.

As mudanças que os ruralistas querem impor no campo

A total desconsideração pelo ser humano, aquele que com a força dos seus braços executa as tarefas fundamentais para que o campo produza o alimento de todos nós, chega ao cúmulo de propor que aqueles que trabalham no campo o façam de sol-a-sol, sem férias em tempos de interesse ao patrão, sem receber salário em dinheiro, sem repouso semanal, enfim, que sejam escravos trabalhando pelo comer, vestir e morar.

Parem 5 minutos e leiam a proposta

A proposta de alteração das leis do trabalho no campo é do deputado estadual Nilson Leitão, do Mato Grosso do Sul, presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA).

Os principais itens propostos em forma resumida, seguem abaixo:

1. Os trabalhadores podem ser pagos mediante "remuneração de qualquer espécie" e não apenas por salário. Isso significa que as pessoas podem voltar a trabalhar por casa e comida - e isso dentro da lei;

2. Aumento de até 12 horas da jornada diária, por "motivos de força maior";

3. O repouso semanal dos trabalhadores pode ser substituído por um período contínuo de até 18 dias de trabalho seguidos;

4. Passa a ser possível a venda integral das férias no caso de trabalhadores que morem no emprego.

Pare e pense, sim, mesmo que você não seja um trabalhador rural

Afinal, recordando um poema muito conhecido de todos - sobre a indiferença - por uns atribuido a Brecht e por outros a Maiakowski mas que, na origem, faz parte de um sermão de Martin Niemöller, um protestante luterano, alemão, preso pela Gestapo.

E não sobrou ninguém que nos chame à realidade de que somos todos interessados, ou deveríamos ser, na defesa dos direitos legítimos - humanos, trabalhistas, ambientais - de vida pois afinal, somos todos dependentes dos mesmos, certo?

“E não sobrou ninguém

Primeiro, eles vieram buscar os socialistas e comunistas;

Não falei nada, pois não era comunista nem socialista;

Depois, vieram buscar os judeus;

Nada falei, pois não era judeu;

Em seguida, foi a vez dos operários, membros dos sindicatos;

Continuei em silêncio, pois não era sindicalista;

Mais tarde, levaram os católicos, e nem uma palavra pronunciei, pois sou protestante;

Agora, eles vieram me buscar, e quando isso aconteceu, não havia ninguém para falar.

(Martin Niemöller – alemão – pastor luterano – 1892-1984)

Leia mais sobre os direitos humanos e outros:

RELATÓRIO EXPÕE ASPECTOS DOS DIREITOS HUMANOS NO ACIDENTE DE MARIANA

DIVULGADA A LISTA DOS EMPREGADORES QUE USAM MÃO-DE-OBRA ESCRAVA

ANISTIA INTERNACIONAL: BRASIL EM ESTADO PERMANENTE DE VIOLAÇÃO DE DIREITOS HUMANOS

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!