Moda gestante: é preciso realmente trocar o guarda-roupa?

Moda gestante: é preciso realmente trocar o guarda-roupa?

Sem dúvida, de uns anos para cá a moda gestante melhorou muito. As roupas estão bem mais bonitas e preparadas para um corpo em constante mutação. Mas será que é preciso trocar o guarda-roupa inteiro por causa de alguns meses de mudança corporal?

Várias mamães fashion, como Thais FarageAna Soares e Joana Moura, têm discutido a relação roupa e maternidade e como a adaptação do guarda-roupa está muito mais atrelada a uma mudança de valores e de vida do que a um momento circunstancial.

Afinal, para que gastar dinheiro e prejudicar o meio ambiente com peças com tão pouca funcionalidade?

É claro que as roupas, incluindo as íntimas, começam a ficar cada vez mais apertadas em mulheres grávidas. Literalmente começamos a nos sentir como naquela música “Eu não caibo mais nas roupas que eu cabia”.

O que fazer, então?

Adaptar e compartilhar

A primeira e mais sensata atitude é encarar o armário. Olhe para as suas roupas e separe aquelas que podem ser adaptadas à nova condição.

Roupas largas que você não usava, túnicas, batas, calças, bermudas e saias que tenham elástico no cós podem servir até o final da gestação ou durante uma boa parte dela.

As peças inferiores podem ser adaptadas com extensores e as superiores, havendo necessidade, podem ser adquiridas aos poucos, assim como as roupas íntimas.

Uma outra saída para manter-se na moda evitando o consumismo, que acaba impactando o meio ambiente, são os guarda-roupas compartilhados.

A Bump Box, por exemplo, é uma loja de aluguel de roupas para gestantes que funciona assim: você escolhe 4 peças que combinam com o seu estilo e podem ser usadas por um mês. Você as devolve e depois recebe outro box de sua escolha. Você pode fazer um plano de aluguel de 3 ou 6 meses, ou seja, quando você devolve uma caixa já recebe outra. É uma forma de economizar tempo, dinheiro e ajudar o planeta.

A própria Thais Farage, que é colaboradora da Bump Box, elaborou com a marca uma linha de roupas versáteis que podem ser usadas durante a gestação e depois ou, até mesmo, por quem não está grávida.

Ideia entre amigas

Você pode, por exemplo, começar essa ideia entre amigas ou comprar roupas em brechós.

Enfim, o que vale é você não gastar o seu dinheiro com roupas que serão usadas por tão pouco tempo e, ao mesmo, sentir-se bem e bonita durante um momento tão especial como a gravidez.

Talvez te interesse ler também:

Moda: a indústria que ocupa o 2° lugar no ranking das mais poluentes

Mundo pós-pandemia: “A semana de moda acabou”, declara a Gucci

Barato ao bolso, caro ao meio ambiente: jovens recusam a moda descartável provocando crise no setor

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *