Junk food e câncer: novo estudo indica possível relação

  • atualizado: 
Junk food

Que a chamada Junk Food não faz bem para a saúde todo mundo já sabe há muito tempo. Mas qual é a correlação entre esses alimentos processados, ​​ricos em sal, gordura ou açúcar e o aparecimento dos tumores malignos? Um novo estudo francês foi procurar as evidências de uma possível ligação entre o consumo diário de junk food e o câncer.

Por junk food se entende uma categoria de alimentos muito ampla que inclui batatinhas fritas, doces, biscoitos e pizzas industrializadas, snacks, lanches, refrigerantes, sucos industrializadas e muitos outros alimentos e bebidas não muito saudáveis, pois são processados, modificados ​​e adicionados açúcar, sal, conservantes, gorduras, corantes, etc. Então, falamos sobre alimentos de má qualidade, ricos em calorias e pobres em nutrientes úteis para o nosso corpo.

Mas comer todos os dias uma certa quantidade de junk food seria realmente perigoso? Um novo estudo quis entender se há indícios que comprovem a correlação entre o consumo desses alimentos e um maior risco de desenvolver câncer.

Até agora, uma dieta baseada predominantemente em junk food tinha sido associada ao aparecimento da síndrome metabólica, da obesidade, da diabetes e das doenças cardiovasculares. Mas não aos tumores. Então, para investigar este aspecto menos discutido, uma equipe de pesquisa da Université Sorbonne Paris Cité desenvolveu um vasto estudo intitulado NutriNet-Santé, cujos resultados foram publicados no British Medical Journal. A pesquisa se desenvolveu através de um questionário em que mais de 100 mil cidadãos franceses relataram frequentemente o que tinham comido durante o decorrer de um dia.

Para avaliar o efeito dos alimentos na saúde, os alimentos foram agrupados de acordo com a forma com a qual eles eram transformados ou não. Em seguida, registrou-se o número de casos de câncer em 5 anos e os comparou com os hábitos alimentares daqueles que tiveram a doença diagnosticada.

Embora existam vários outros fatores de risco, como idade, genética, tabagismo, sedentarismo e outros, verificou-se um aumento no risco de câncer devido aos hábitos alimentares não saudáveis. Especificamente, a pesquisa mostrou que, em comparação com um aumento de 10% na introdução de junk food em sua dieta, há 12% mais risco de câncer (11% no caso de câncer de mama).

Um risco maior não fora identificado naqueles que consumiam outros tipos de alimentos de origem industrial, como vegetais e legumes enlatados, pão confeccionado ou queijo.

O mesmo estudo confirmou mais uma vez como o consumo de alimentos frescos (frutas, vegetais, cereais, legumes, etc.) consegue ter, pelo contrário, um efeito protetor contra o câncer.

No entanto, trata-se de um estudo observacional baseado em questionários e precisa de novas confirmações a serem feitas com todos os métodos científicos do caso. Os próprios pesquisadores dizem:

"Esses resultados sugerem que o rápido aumento do consumo de alimentos ultraprocessados ​​pode causar um aumento na incidência de câncer nas próximas décadas. (...) são necessários mais estudos para entender melhor o efeito relativo das diferentes dimensões de processamento (composição nutricional, aditivos alimentares, materiais de contato e contaminantes recém-formados) nessas associações".

Contudo, como se diz por aí, onde tem fumaça tem fogo. Junk food, quanto menos, melhor!