Home office para sempre já é tendência no mercado de trabalho

O home office é um privilégio. A muitos trabalhadores essa escolha não é permitida, como profissionais das áreas de limpeza e saúde, bem como os trabalhadores informais.

Muita gente prefere sair para trabalhar, como forma de socialização. Mas o home office também significa menos poluição ambiental, menos trânsito, menos gasto com combustível, roupa, sapato, menos estresse e burocracia e mais qualidade de vida.

Facebook

O debate sobre a realização do trabalho em casa, suscitado pela pandemia do novo coronavírus, já está sendo feito em diversos setores e alguns já tomaram a iniciativa de adotá-lo, como o Facebook. A empresa de Mark Zuckerberg anunciou que o trabalho remoto será feito permanentemente por seus profissionais. Mesmo com o fim das medidas de distanciamento social, o Facebook manterá o sistema de trabalho remoto, informa o Só Notícia Boa.

Segundo o próprio Zuckerberg, espera-se que no prazo entre cinco e dez anos mais da metade de sua equipe trabalhe de casa. A empresa pretende seguir com o seu plano de contratação, na contramão de muitos empresários que dizem que terão de demitir funcionários.

Twitter

O Twitter (TWTR) também segue a mesma linha, visto que o home office tem funcionado bem entre os membros de suas equipes. A vice-presidente de gerenciamento de pessoas da empresa, Jennifer Christie, disse, em comunicado à CNN Business, que:

“Se nossos funcionários estiverem em uma função e situação que lhes permita trabalhar em casa e quiserem continuar fazendo isso para sempre, faremos isso acontecer. Caso contrário, nossos escritórios serão calorosos e acolhedores, com algumas precauções adicionais, quando acharmos que é seguro retornar”.

Outras

Várias outras empresas, sobretudo aquelas que trabalham no mercado digital, Box, Shopify, entre outras, estão adotando o home office pela própria natureza do trabalho delas. Microsoft, Google e outras empresas do Vale do Silício estão permitindo aos seus funcionários um home office prorrogado até outubro ou dezembro, como informa a Wired.

Entretanto, em muitos outros setores terá que ser pensada uma forma de conciliar a prestação de serviços através dessa nova dinâmica. Em alguns tipos de trabalho, a reunião e a colaboração entre pessoas são necessárias, em outros, não. Fato é que muitas empresas estão revendo os custos na manutenção de espaços, às vezes não de todo necessários, para manterem seus funcionários sob o mesmo teto do escritório. Algumas empresas estão simplesmente beneficiando os trabalhadores remotos para que esta modalidade se expanda, afinal, os benefícios são para todos.

O importante é que os trabalhadores tenham seus direitos trabalhistas mantidos. Do ponto de vista ambiental, social e do funcionamento das cidades, pode ser uma grande oportunidade para as empresas públicas e privadas adotarem esse novo modelo de planejamento.

Talvez te interesse ler também:

1º de maio: como serão as relações trabalhistas num mundo pós-pandemia?

Não demita: o tipo de empresário que o Brasil precisa ter

Diaristas dispensadas sem pagamento: a categoria é a mais atingida pela crise coronavírus

Sobre Gisella Meneguelli

Gisella Meneguelli
É doutora em Estudos de Linguagem, já foi professora de português e espanhol, adora ler e escrever, interessa-se pela temática ambiental e, por isso, escreve para o GreenMe desde 2015.

Veja Também

igualdade gênero

Na Espanha, mulheres e homens passam a ter equidade salarial

Quando escutamos o jogador de futebol Robinho dizer que “infelizmente, tem esse movimento feminista”, fica …