27 de Setembro – Dia Nacional de Doação de Órgãos. Doe Vida!

27 de setembro é o Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos. A data tem por finalidade recordar que existem milhares de pessoas necessitando de transplantes de órgãos, por isso a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO) aproveita este dia para realizar a Campanha Nacional de Doação de Órgãos, através de conscientização e de eventos espalhados no Brasil inteiro.

Para simbolizar essa campanha neste dia foi instituído o laço verde, marcando o Setembro Verde.

Como funciona a doação de órgãos

Conforme a legislação brasileira, lei nº 10.211, de 23 de março de 2001, a retirada dos órgãos e tecidos para doação só pode ocorrer mediante autorização dos familiares.

Os órgãos vitais do doador que teve morte cerebral ou parada cardíaca poderão servir e serem transplantados para outra pessoa.

A constatação da morte encefálica se dá através de dois exames clínicos realizados por médicos diferentes e um exame complementar de imagem, gráfico ou metabólico. 

O falecido por morte encefálica pode ser doador de órgãos como: rins, pulmões, pâncreas, fígado, coração, intestino delgado e tecidos. 

Já quem morreu por parada cardíaca pode ser doador de tecidos como: pele, ossos, córneas, tendões, vasos sanguíneos e outros.

Após a retirada dos órgãos do falecido, é feita a recomposição do corpo e o doador poderá ser velado.

Pessoas vivas também podem doar órgãos desde que sejam duplos, como por exemplo, os rins ou pulmões e que o doador tenha boa saúde para se submeter ao transplante.

Outros órgãos que podem ser doados em vida são: medula óssea, parte do fígado e do pâncreas.

Informar à família

No Brasil, o número de famílias que não permitem a doação de órgãos do ente que teve da morte encefálica é maior do que o número de famílias que autorizam o transplante.

Para ser um doador é preciso informar à família sobre seu desejo de ser tornar um doador após sua morte, assim a família poderá atender sua vontade.

Os pacientes que precisam de doações de órgãos sãos os que estão na lista de espera unificada e informatizada, em uma mesma base de dados e que é acessada pela Central Estadual de Transplantes, para verificar os receptores compatíveis com o doador.

Caso não haja receptores compatíveis no estado, a doação do órgão irá para a lista da Central Nacional de Transplantes CNT/MS a nível nacional.

A lista de espera é definida por critérios de compatibilidade entre doador e receptor como a compatibilidade sanguínea, antropométrica, gravidade do quadro e, em alguns transplantes, é necessária a compatibilidade genética. 

Para saber mais sobre a doação de órgãos acesse este link AQUI

Doar órgãos é doar vida!

Talvez te interesse ler também:

#SETEMBROAMARELO: PREVENÇÃO AO SUICÍDIO, COMO PODEMOS AJUDAR

Professora, alfabetizadora, formada em História pela Universidade Santa Cecília, tem o blog A Vida nos fala e escreve para GreenMe desde 2017.
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Siga no Instagram
Siga no Facebook