Descoberto o neurônio que regula o apetite e a sensação de saciedade

Conseguir fazer com que a sensação de saciedade chegue mais rápido ao cérebro é uma coisa maravilhosa para aqueles que querem perder os quilos a mais! Os chamados neurônios “tanicitos” (tanycytes) produzem a sensação de saciedade quando percebem a presença de certas moléculas em alguns alimentos.

Esta é a descoberta que chega da Universidade de Warwick que, em uma pesquisa publicada na revista Molecular Metabolism, identificou esses neurônios especiais, responsáveis ​​pelo apetite. Substancialmente, preferindo determinados alimentos ricos em “arginina” e em “lisina” (os alimentos mais ricos são bacalhau, damascos, abacates, amêndoas ou lentilhas) seria possível promover a sensação de saciedade mais rapidamente.

Os cientistas britânicos identificaram um tipo de neurônio no hipotálamo – a região do cérebro importante para controle do peso e dos processos metabólicos – e descobriram que na superficie destes, existem receptores de aminoácidos idênticos àqueles do assim chamado gosto “umami”, encontrados nas papilas gustativas.

Foi aí que os pesquisadores tiveram a ideia de fazer com que estes neurônios ficassem fluorescentes para poderem seguir o seu comportamento no microscópio.

Os resultados das investigações revelaram que esses neurônios responderam imediatamente à presença da lisina e da arginina, enviando o sinal de saciedade para o hipotálamo.

Os tanicitos no cérebro, na prática, respondem aos aminoácidos presentes nos alimentos, através dos mesmos receptores que detectam o sabor dos aminoácidos (gosto “umami”) que são encontrados na língua.

Os dois aminoácidos que reagem mais – e que são susceptíveis de nos fazer se sentir mais satisfeitos – são a arginina e a lisina.

“Os níveis de aminoácidos no sangue e no cérebro após uma refeição são sinais muito importantes que dão a sensação de sentir-se saciado”, explica Nicholas Dale, professor de neurociência na Universidade de Warwick.

Descobrir que os tanicitos – posicionados no centro da região cerebral responsáveis ​​pelo controle do peso corporal – estão diretamente relacionados aos aminoácidos, é importante para ajudar as pessoas a manterem seus pesos corporais dentro dos limites saudáveis​​”.

De acordo com os autores do estudo, portanto, dietas específicas no futuro poderiam ser desenvolvidas com base nessa nova hipótese, bem como o desenvolvimento de drogas ad hoc capazes de estimular diretamente os tanicitos.

A luta contra o excesso de peso parece ter encontrado fortes aliados científicos agora. No entanto, continua sendo essencial não perder de vista as regras essenciais para cuidar do nosso corpo: comer alimentos saudáveis, manter um estilo de dieta variado e equilibrado, e fazer atividade física regularmente.

Talvez te interesse ler também:

Compulsão alimentar ou fome emocional? Reveja a sua relação com a comida

Incrível aumento de cirurgia bariátrica no Brasil: obesidade e riscos

Shot de gengibre ou limão em jejum para desintoxicar, emagrecer e começar bem o dia

Sobre Redação GreenMe

Redação GreenMe
greenMe.com.br é um site de informação sobre meio ambiente e saúde, criado para levar ao grande público, a consciência de que um mundo melhor é possível, através de um comportamento respeitoso com todas as formas de vida.

Veja Também

Covid-19 na Europa: lockdown, toque de recolher, recorde de mortes e protestos

Lockdown na França e na Alemanha, toque de recolher e protestos na Itália, recorde de …