Chá verde e diabetes → um tratamento bastante promissor

  • atualizado: 
Chá verd

Pelo menos é o que afirmam os pesquisadores da Universidade de Ciências Médicas de Poznan, Polônia - que o chá verde é benéfico para a redução do açúcar no sangue pois interfere na absorção dos amidos - segundo essa matéria dos Amantes del Te.

Com esse efeito, de reduzir o açúcar disponível no sangue pela modificação da metabolização dos amidos - carboidratos presentes no pão, arroz, massas e batatas - a ingestão do chá verde por diabéticos pode ser uma ajuda muito efetiva para a manutenção de dietas reguladoras dos níveis glicêmicos.

O chá verde é feito a partir das folhas da planta Camellia sinensis, colhidas verdes e secas antes de fermentarem. É rico em fitoquímicos e polifenóis dentre os quais está o EGCG - epigalocatequina, que favorece o controle de peso e ajuda a reduzir os níveis de glicose no sangue. Estas condições também existem no chá preto ou fermentado mas, no chá verde elas se apresentam em estado mais puro e nosso organismo as pode aproveitar melhor.

Menor absorção dos amidos é o resultado

O estudo em questão testou esse efeito em um grupo de voluntários e o resultado mostrou que, aqueles que ingeriram o chá verde tiveram maior dificuldade em absorver e digerir os amidos presentes na sua alimentação.

“Já existem evidências de que o chá verde aumenta, levemente, o gasto calórico e a metabolização das gorduras nos seres humanos para além de apresentar importantes efeitos antioxidantes e anticancerígenos. Porém, esse estudo de agora define o chá verde como um ingrediente funcional interessante pela sua capacidade de inibir tanto a alfa amilase como a alfa glicosidase, duas enzimas fundamentais para a degradação dos amidos (hidratos de carbono complexos) o que o converte em uma bebida funcional ou suplemento para dietas de pessoas insulino-resistentes ou que sofrem de diabetes”, afirmou a nutricionista Mônica Katz, diretora do curso de Especialista em Obesidade e Pós-graduação em Nutrição da Universidade de Favaloro.

“Quanto mais lento é o processo de degradação do carboidrato consumido, melhor o organismo do diabético se adaptará sem aumento dos níveis de glicemia”, acrescentou a nutricionista.

A inibição eficaz das enzimas responsáveis pela absorção dos amidos, explica o estudo, é crucial para o controle da diabetes e, esta é feita, atualmente, com medicamentos químicos (como o acarbose) que apresentam sérios efeitos secundários (vômitos e diarréia). Assim, essa descoberta de uma nova função curativa do chá verde coloca esse chá no patamar de “terapia complementar da hipeglicêmia pós-prandial” e o extrato de chá verde pode ser usado, como alternativa natural e isenta de efeitos perigosos, para inibir parcialmente a absorção dos glúcidos.

As vantagens não são só clínicas

O estudo também concluiu que o chá verde tem vantagens clínicas e não só pois, é um produto que se encontra em todos os países, têm preço acessível e é bem tolerado pelos consumidores.

Formas de usar

Para o caso de diabetes, o estudo propõe o uso deste suplemento na forma de cápsulas, para ingestão, ou como infusão mas, é preciso que sejam definidas as doses suficientes pois, não adianta tomar uma dose baixa e esperar um efeito mais contundente, não é.

No entanto, o excesso de chá verde, seja em cápsulas de extrato ou em xícaras da infusão, pode causar mal estar estomacal em algumas pessoas mais sensíveis, assim como aumento de pressão arterial e insônia, caso seja tomado nas horas noturnas.

Leia mais sobre os benefícios do chá:

seta

CHÁ VERDE → OS SURPREENDENTES BENEFÍCIOS PARA SAÚDE 

setaO CHÁ VERDE REALMENTE AJUDA A PERDER PESO?

setaCHÁ VERDE: O EXTRATO AGE SOBRE AS CÉLULAS CANCEROSAS, BLOQUEANDO O SEU METABOLISMO