Calvície pode ser destino dos baixinhos, diz a ciência

  • atualizado: 
careca

Baixinho e careca: a ciência fez uma ligação sobre o que poderia ser um pesadelo para os homens, mas vamos com calma porque “é dos carecas que elas gostam mais” e “nos pequenos frascos estão os melhores perfumes”.

O estudo

Os homens baixos têm maiores chances de perderem seus cabelos. É o que diz um amplo estudo genético conduzido em mais de 20 mil homens de 7 países diversos e cujos resultados foram publicados na Nature Communications por uma equipe de pesquisa internacional, coordenada pela Universidade de Bonn na Alemanha.

Os pesquisadores compararam os DNAs de 11 mil homens com calvície precoce com os de 12 mil homens coetâneos e cabeludos, descobrindo que a queda de cabelos está ligada a determinadas doenças e características físicas. Na verdade, eles encontraram mais de 60 variantes genéticas associadas à calvície, o que proporciona uma maior compreensão de outras condições de saúde.

"Nós identificamos 63 alterações genéticas que aumentam o risco de calvície prematura - explicou a pesquisadora Stefanie Heilmann-Heimbach. Algumas destas alterações foram encontradas em conexões de características particulares e doenças, tais como a estatura reduzida, a puberdade precoce e o surgimento de vários tipos de câncer”. Os dados confirmariam, em seguida, a ligação entre a calvície e um risco aumentado de câncer de próstata, enquanto a associação com a doença cardiovascular parece ser um pouco mais complicada e difícil de decifrar.

Calvície pode não ser um problema isolado

Tudo isso, no entanto, não deve preocupar. "O risco de desenvolver doenças é aumentado de maneira quase imperceptível. O interessante, no entanto a se notar, é que a perda de cabelo não é um problema isolado, mas relacionado com várias outras características", disseram os pesquisadores.

A perda precoce de cabelos poderia estar ligada até mesmo "a uma maior densidade óssea e a uma cor mais clara de pele", como apontado pelo geneticista Markus Nothen. "Isto poderia significar que homens com pouco cabelo têm uma maior capacidade de aproveitar a luz solar para produzir vitamina D, e também poderia explicar porque os homens brancos, em particular, são geralmente afetados pela calvície prematura."

No mais, segundo seus autores, a pesquisa pode indicar novos caminhos para o tratamento da calvície ("podendo levar à 'reorientação' dos medicamentos existentes para a calvície masculina") além de poder ajudar no diagnóstico e talvez na prevenção de algumas doenças.

Baixinhos e carecas têm seus charmes também. No mais, saúde é o que interessa!

Leia mais sobre saúde e bem-estar:

QUEDA DE CABELO: O QUE COMER PARA TER CABELOS SAUDÁVEIS

CABELO CAINDO - COMO MELHORAR A SITUAÇÃO?

ALOPECIA: O QUE É E QUAIS SÃO OS REMÉDIOS MAIS EFICAZES