Conselho de medicina de São Paulo defende descriminalização da maconha

maconha

Em muitos países, portar maconha para uso pessoal não é considerado crime. Aqui no Brasil, pelo menos o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) vai pelo mesmo caminho.

O órgão emitiu uma Nota Pública a favor da descriminalização do porte de cannabis para uso próprio.

O tema foi debatido pela Câmara Técnica de Psiquiatria, que considerou as consequências do uso e do porte de drogas pelo viés da Saúde Pública. Isso coloca a área da medicina no centro da discussão e a importância desse conhecimento para esclarecer e enfrentar a questão.  

O Cremesp, desde 2012, já vem se manifestando sobre a relevância de as drogas serem tratadas como um tema de saúde pública e de políticas públicas focarem a prevenção do uso. A nota do Cremesp fortalece a defesa da vida contra o modelo em vigor no país, que criminaliza o usuário de drogas. 

É necessário que haja investimentos na prevenção, garantindo à população informações sobre os danos causados pelo uso de substâncias nocivas bem como tratamento adequado para os dependentes. 

Ampliar o debate na sociedade brasileira sobre as drogas e seus efeitos e trazê-lo para o amparo da saúde pública é um modelo que visa a preservar o indivíduo e a sociedade.

Descriminalizar a maconha ou não

O uso e o comércio da cannabis são questões diferentes que abrangem diversos setores da sociedade. Começam pela saúde e passam pela economia, pelo tráfico de drogas, etc. Nos links abaixo você poderá ler alguns dos aspectos da descriminalização da maconha, bem como sua aplicação industrial, suas consequências para a saúde, seu uso medicinal e outros.

Especialmente indicado para você:

CANNABIS: 10 USOS NOS MAIS DIFERENTES SETORES

A FAMOSA PREGUIÇA CAUSADA PELA MACONHA É CIENTIFICAMENTE COMPROVADA

POR QUE A MACONHA É PROIBIDA?

MACONHA: 10 DOENÇAS QUE PODEM SER TRATADAS COM A CANNABIS

DROGAS: PRECISAMOS FALAR SOBRE ELAS