mãe prepara almoço
mãe prepara almoço

Esta mãe prepara todo dia almoço e merenda para as crianças pobres do seu bairro

Ainda existe muita pobreza em nosso país, e no mundo inteiro. Isto é fato, é só olhar à nossa volta! Por consequência, fome e miséria não faz distinção de idade e abarca duramente as crianças que têm na merenda da escola o seu sustento!

Diversas famílias pobres, com crianças que ainda não estão na idade escolar, recorrem à instituições, ONGs de caridade e assistência social ou associações comunitárias para que seus filhos possam se alimentar.

De acordo com estatísticas com base nos cálculos da Fundação Abrinq, feitos segundo dados do IBGE e publicadas no site da BBC, 9 milhões de brasileiros entre zero e 14 anos vivem em extrema pobreza, 

Em 2017, o Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional do Ministério da Saúde (Sisvan) evidenciou 207 mil crianças menores de cinco anos com grave desnutrição. 

E os índices da pobreza não param por aí, pois, conforme uma pesquisa de Segurança Alimentar do IBGE, feita em 2013, uma em cada cinco famílias brasileiras enfrentava falta de alimentos ou de dinheiro para comprar comida.

Muita pobreza, muita desigualdade social mas ainda há esperanças de que um mundo melhor seja possível através da empatia e da solidariedade. Veja um exemplo disso:

Dividir é multiplicar

Pensando na pobreza e na fome que assola as crianças, Champale Greene Anderson que tem seis filhos e vive em North St. Louis, Missouri, EUA, resolveu ajudar e alimentar as crianças pobres de seu bairro, preparando cerca de 100 almoços e lanches diariamente. 

Faz cinco anos que esta mulher se dedica a essa ação em favor dos pobres de sua comunidade.

Ela começou a se dedicar a essa ajuda voluntária após perceber que os amigos de seus filhos quando iam à sua casa, denotavam estar com muita fome. 

Através da iniciativa de Champale Greene Anderson, as crianças podem ir à casa dela antes e depois da escola para receber alimentos como: frutas, verduras, sucos, sanduíches, lanches e biscoitos. 

E para as pessoas na faixa etária dos 14 aos 30 anos, Champale prepara uma mesa do lado externo de sua de casa  servindo comida e doando sacolas chamadas Champ Tears Drops, que contém um sanduíche e uma comida surpresa que muda a cada dia, tudo isso com a adição de muito amor.

E por falar em amor veja o que Champala diz sobre isso:

“Não basta colocar manteiga de amendoim e geleia, eu os misturo com amor e eles amam esses sanduíches.”

Ela realiza tudo isso com a ajuda de seus filhos e amigos, às vezes, as 100 sacolas de alimentos não são suficientes, então se faz necessário preparar sacolas extras.

Para divulgar sua ação, Champale colocou uma placa do lado de fora de sua casa escrita: Lanches grátis para as crianças do bairro! 

Além dessas ações, Champale leva as sacolas para o ponto de ônibus em frente de sua casa.

ãe prepara almoço 3

Os pais de crianças são muito agradecidos à Champale e quando melhoram de situação retribuem-lhe doando mantimentos para ajudar em seu trabalho comunitário.

Para obter os fundos necessários para sua ação filantrópica e humanitária, Champale fez uma página de coleta de fundos no GoFundMe com a meta de US $ 1.500, para poder comprar mais comida para as crianças.

Esta campanha de financiamento coletivo rendeu muito mais, quase chegando a 60 mil dólares!

Agora, seu grande sonho é criar um centro de recreação infantil gratuito para todas as crianças do seu bairro!

Por mais sonhos e realizações como as de Champale, o mundo está precisando muito disso!

Talvez te interesse ler também:

SEM DIVERSÃO: PARA MUITOS BRASILEIROS, AS FÉRIAS SÃO A TEMPORADA DA FOME

EXISTE QUASE TANTA GENTE OBESA QUANTO DESNUTRIDA: NÃO AO BIGFOOD

VOCÊ ESTÁ SEMPRE COM FOME? FIQUE DE OLHO NO ÍNDICE GLICÊMICO

Sobre Deise Aur

Avatar
Professora, alfabetizadora, formada em História pela Universidade Santa Cecília, tem o blog A Vida nos fala e escreve para GreenMe desde 2017.

Veja Também

Morte de crianças por engasgo é muito comum. Veja como prevenir e salvar

Acidentes domésticos estão no topo da lista de ocorrências entre crianças, e, muitas delas, com …