Bronquiolite em crianças: o que é, os sintomas e as curas

Inalação em bebê

Bronquiolite, quando é realmente perigosa? Aparece especialmente no outono e no inverno e principalmente nos primeiros 6 meses de vida. A bronquiolite para os bebês e os pais é um osso muito duro de roer, mas, com um pouco de paciência e o tratamento certo, isso também passará!

Trata-se de uma infecção dos "bronquíolos", ou seja, das pequenas passagens presentes no pulmão, e é geralmente causada por uma infecção viral. Na prática, a bronquiolite é uma infecção viral aguda que afeta principalmente as pequenas vias aéreas das crianças com idade inferior a 2 anos, especialmente se prematuras.

As causas da bronquiolite

A infecção é causada principalmente pelo vírus sincicial respiratório (RSV), que é uma das causas mais frequentes de distúrbios respiratórios durante os primeiros anos de vida, que ocorre nos meses frios em climas temperados e na estação chuvosa, quando as temperaturas são mais baixas. A bronquiolite é no entanto secundária à uma transmissão que ocorre primeiramente pelo contato direto com as secreções infectadas e a fase de contágio dura em tipicamente de 6 a 10 dias.

Em qualquer caso, os principais fatores de risco são os seguintes:

* a exposição à fumaça do cigarro
* idade inferior aos 6 meses
* lugares particularmente lotados
* ausência de aleitamento materno
* história familiar de asma
* nascidos prematuramente (antes da 37ª semana de gestação)

Leia também: FUMO PASSIVO DANIFICA A ARTÉRIA DE CRIANÇAS

Os sintomas da bronquiolite

Normalmente a bronquiolite começa com os sintomas típicos de uma gripe: febre e rinite são os principais sinais. Depois vem uma tosse mais ou menos grave e dificuldades de respiração, caracterizadas por um aumento da respiração com retrações intercostais (isto é, a angústia respiratória se manifesta visualmente pelas narinas e costelas). Muitas vezes, tudo se resolve espontaneamente, mas em alguns casos pode ser necessário um internação, especialmente durante idade inferior aos seis meses de vida.

Em crianças muito pequenas, pode haver hipoxemia (o oxigênio no sangue diminui) e pode ser observada uma desidratação devido à perda de água causada pelo esforço respiratório. Além disso, em pequenos prematuros ou com idade inferior a 6 semanas de vida, existe ainda um maior risco de apneia, por isso devem ser monitorados os parâmetros cardiorrespiratórios.

Em qualquer caso, é prudente ir ao hospital se a criança rejeita totalmente a comida e para garantir ao pequeno a oxigenação adequada do sangue (com a administração de oxigênio umidificado e aquecido) e uma hidratação adequada (com soluções glucosaline administradas por via intravenosa).

O tratamento da bronquiolite

Às vezes é suficiente aliviar os sintomas com uma boa lavagem nasal, umidificação de ambientes, administração de oxigênio e um pouco de descanso saudável. Nada de antibióticos porque não são eficazes contra as infecções virais! Os medicamentos utilizados principalmente em hospitais incluem drogas para o tratamento da asma e, ocasionalmente, cortisona. Em casos particularmente graves, os antivirais são uma opção ulterior.

Como evitar a bronquiolite?

A maioria dos casos de bronquiolite não são facilmente evitáveis, porque os vírus que causam a doença estão disseminados no ambiente. No entanto, lembre-se sempre de lavar as mãos, especialmente onde houver crianças, e principalmente sempre tentar evitar o contato das crianças menores com outras crianças ou adultos acometidos por infecções das vias aéreas; preferir a amamentação; fazer lavagem nasal frequente com solução fisiológica ou hipertônica e nunca, jamais, fumar dentro de casa (principalmente perto das crianças!).

Leia também:

E QUANDO O SEU BEBÊ TEM PRISÃO DE VENTRE, O QUE FAZER?

DAR CHUPETA AO BEBÊ: SIM OU NÃO?

COMO É POSSÍVEL MELHORAR O SONO DO TEU BEBÊ (E O TEU TAMBÉM!)