Agenda de Meio Ambiente e Sustentabilidade Copa 2014

Agenda de Meio Ambiente e Sustentabilidade Copa 2014

Neste terça, 27, foram apresentadas as tão esperadas ações de sustentabilidade do governo brasileiro, visando a Copa do Mundo – que será realizada de 12 de junho a 12 de julho. O anúncio foi feito pela ministra do meio ambiente, Izabella Teixeira.

O documento é intitulado “Agenda de Meio Ambiente e Sustentabilidade Copa 2014” e prevê os seguintes pontos centrais:

1. Gestão sustentável e certificação das arenas da Copa

Pontos centrais: desenvolvimento de tecnologia, geração de mão de obra qualificada e expansão da perspectiva de consumo consciente, de modo a reduzir emissões de carbono. Há, em curso, um projeto de certificação sustentável de todas as arenas – já tendo sido reconhecidas as de AM, DF, MG, PR, RJ e PE – e estão sendo analisadas pelo Green Building Council;

2. Campanha “Brasil Orgânico”

Feita em parceria entre o Ministério do Meio Ambiente e o Ministério do Desenvolvimento Econômico, preconiza a indução de relações de mercado mais favoráveis no agronegócio. São dois os eixos da campanha:

a) Kits Lanche para os voluntários

Os cerca de 18 mil voluntários que estarão fora das arenas ganharão um kit de alimentos orgânicos não-perecíveis. Esses alimentos foram comprados em cooperativas e associações –barras de cereais, frutas desidratadas, biscoitos, castanhas, sucos.

b) Quiosques Brasil Orgânico e Sustentável

Haverá, em todas as cidades-sede do mundial Quiosques de Comercialização de Produtos Orgânicos e da Agricultura Familiar. Serão cerca de 60 grupos e associações de produtores rurais. A iniciativa será uma oportunidade desses agricultores de promoverem e comercializarem produtos;

3. Campanha “Passaporte Verde”

Serão oferecidos 60 roteiros turísticos que se relacionem ao tema da sustentabilidade. Foi estabelecido ainda um grande painel de comunicação com informações sobre o consumo e a produção sustentáveis, com portal na internet, mobile app e redes sociais. Os dados apurados ao longo da Copa serão reunidos e reutilizados posteriormente, em novas ações de preservação ecológica;

4. Redução e compensação de emissões de gases poluentes

Com chancela da ONU, essa iniciativa prevê a contabilização das emissões e, em paralelo, a apresentação de diversas estratégias de redução, de neutralização e de compensação ambientalestima-se que, na Copa, sejam emitidas 1.406.430 toneladas de gases poluentes, direta e indiretamente. Este eixo da agenda conta ainda com o Selo Baixo Carbono – responsável por atrair empresas a fazer doação de seus créditos de carbono, a fim de compensar o que será gerado pelos participantes do evento. Além disso, também houve o Inventário Ex-Ante de Emissões da Copa 2014, provisório, com todas as projeções de emissões, que estão relacionadas ao evento – devemos lembrar que, depois da Copa, será posto em prática o Inventário finalizado.

5. Gestão de resíduos e procedimentos de reciclagem

Foram abertas e estão sendo oferecidas iniciativas de apoio às cidades-sede para cadastro e inclusão de catadores. Seis, entre as cidades, foram contempladas com linhas de crédito da ordem de R$ 2,3 milhões.

Assim, os catadores estarão aptos a fazer a coleta seletiva na área ao redor de arenas, bem como nas festas oficiais para as torcidas. Após recolhidos, os resíduos serão conduzidos às cooperativas de reciclagem.

Este eixo da Agenda inclui um investimento do BNDES, para estabelecimento de regimes de coleta seletiva permanentes em todas as cidades-sede. O nome dessa ação é Cidades da Copa e já foram aprovadas ações diretas para Brasília, Curitiba, Porto Alegre e Rio de Janeiro, em um investimento total de cerca de R$ 79 milhões.

Conta pra gente, o que você achou da agenda?