Ignatia amara: o que é, benefícios, como usar e contraindicações

  • atualizado: 
ignatia amara

Ignatia amara é uma planta cujo uso medicinal é homeopático pelo princípio do semelhante - ou seja, trata, em formulações homeopáticas bastante diluídas, os mesmos sintomas que a planta causaria se fosse ingerida. Um dos seus princípios ativos é a estricnina, letal em doses aumentadas mas, na homeopatia, é indicada para mulheres e alguns estados emocionais específicos.

Ignatia Amara: o que é?

A planta que origina o medicamento homeopático Ignatia amara se chama Strychnos ignatii Bergius, da família Loganiaceae, e também é conhecida como Fava ou Feijão de Santo Inácio, natural das Filipinas e ocorrente também em regiões da China.

As favas (feijões) são, na verdade, as sementes que se encontram dentro dos frutos amarelos e são ricas nos alcalóides estricnina e brucina.

A formulação homeopática feita com as sementes desta planta foi estudada em comparação com medicamentos alopáticos para acalmar o sistema nervoso e obteve melhor indíce de efetividade (um dos estudos é este aqui).

ignatia amara 2Fonte foto: Wikimedia.org

Indicações de uso e benefícios

1. Primeiros socorros emocionais

A Ignatia amara é um dos mais úteis remédios homeopáticos para os “primeiros socorros emocionais” e alivia, rapidamente, caso a indicação seja adequada, casos de depressão, tristeza, medo, desequilíbrio emocional com oscilação de choro, choque e raiva, sentimentos reprimidos e disposição inconstante tanto em homens como em mulheres.

2. TPM

Mas, especialmente, este é um medicamento do qual podem fazer bom uso as mulheres que sofrem de desconfortos menstruais e oscilações de humor originadas nas variações e sobrecargas hormonais desse período da vida.

3. Dores de cabeça

Uma das características marcantes da indicação de uso da Ignatia amara homeopática são para o tratamento de enxaquecas e dores de cabeça agudas, pulsantes, martelantes.

4. Problemas emocionais sérios

É também indicada em casos de desgosto com alterações de humor, histeria e insônias ou crises súbitas de pranto e pensamentos repetitivos que geram um circuito fechado de preocupações, tristeza e falta de horizontes.

5. Náuseas, vômitos, dores abdominais de origem nervosa

Também é bastante eficaz quando há, junto com as dores de cabeça, sintomas como náuseas e vômitos, tosses ligeiras, febre e arrepios, desfalecimentos diversos e dor abdominal nervosa.

6. Para enfrentar lutos e perdas

É especialmente útil durante o luto, divórcio ou rompimento de relações afetivas de qualquer ordem.

7. Amenorreia

Nos casos de ausência da menstruação, amenorreia, sem que exista a possibilidade de gravidez e, especialmente quando este estado é acompanhado de estresse emocional, a Ignatia amara poderá ser uma boa escolha.

8. Menopausa

Também é frequentemente usada essa formulação nas variações de humor ocorrentes durante a menopausa.

Segundo a matéria médica homeopática, as características físicas das pessoas que mais usam Ignatia amara são: mulheres, cabelos escuros, olhos claros, pele clara. Mas, como é compreensível, essa é só uma primeira visualização do paciente.

Como se usa a Ignatia amara

Usa-se em gotas ou glóbulos, nas formulações homeopáticas mencionadas e, somente nos casos indicados pois, o seu uso inadequado não terá bons resultados na cura de ninguém.

O certo é que a indicação deste medicamento, ou de qualquer outro medicamento homeopático, deve vir acompanhada por uma profunda avaliação da personalidade do paciente, como ocorre em todas as prescrições da homeopatia.

Existem diversas graduações das formulações homeopáticas - das decimais às centesimais e até, milesimais - que são escolhidas pelo médico conforme o estado geral do paciente, avaliadas suas características tanto físicas quanto anímicas.

Aqui não podemos fazer recomendações de uso ou dosagem da Ignatia amara já que não se trata de um chá ou infusão mas sim, de uma preparação específica que, a cada dinamização, poderá ter bons resultados caso a indicação seja competente.

Outros usos

A planta Ignatia amara, Fava de Santo Inácio, não é segura para consumo in natura mesmo assim, em alguns lugares, a medicina popular indica seu uso para evitar desmaios, em casos de icterícia, hepatite e como purgante.

Contraindicações de uso

Até a homeopatia tem contraindicações e essas variam de gravidade e área de abrangência (se no plano físico, emocional ou espiritual) em função da maior ou menor diluição do medicamento.

O uso inadequado, ou a indicação equivocada, de um medicamento como o Ignatia amara poderá produzir os sintomas que esperávamos tratar, ou agravá-los, ou transformá-los em outros ainda e, fundamentalmente, poderá criar no paciente uma crise do sistema imunológico, com efeitos bastante nefastos e, no caso da Ignatia amara, o primeiro desses sintomas é a insônia que ela também curaria, caso fosse a melhor indicação.

A homeopatia

A homeopatia é uma ciência holística, que busca observar, analisar e medicar o paciente em função de um “todo” de sintomas e reações. O que é bom para você pode, inclusive, ser péssimo para mim.

Por isso é importante que você consulte um bom especialista, antes de se aventurar na automedicação.

Especialmente indicado para você:

setaLEDUM PALUSTRE: USOS, CUIDADOS E RECOMENDAÇÕES

setaTRÍBULUS TERRESTRIS - PARA DISTÚRBIOS SEXUAIS DO HOMEM E DA MULHER

setaMAÇÃZINHA DA MORTE: A ÁRVORE MAIS PERIGOSA DO MUNDO

Fonte foto capa: honatur.com