Canela-de-velho, uma planta milagrosa contra artrose, artrite e dores em geral

A canela-de-velho, Miconia albicans, é uma planta muito comum no Nordeste brasileiro. Pertence ao gênero botânico Miconia, da família Melastomataceae, que tem diversas contribuições na medicina popular.

Vale a pena você conhecer e, se tiver alguma inflamação dolorosa, experimentar.

Canela-de-velho. Que planta é essa?

A Miconia albicans é uma planta arbustiva (de 0,7 a 3 m de altura) também conhecida como quaresmeira-de-flor-branca, prima das outras quaresmeiras – de flor roxa e rosa – que já conhecemos.

Mas, há outras plantas que são conhecidas como canela-de-velho portanto, é importante saber o nome científico para você saber o que está tomando.

Para te ajudar na identificação correta da planta, dê uma lida aqui.

Fonte foto

Uma outra canela-de-velho é a Cenostigma macrophyllum Tul. var. acuminata ou caneleiro, árvore do Paraná.

A canela-de-velho (Miconia albicans) já é bastante estudada por suas propriedades medicinais e curativas assim como outras plantas do mesmo gênero.

Para além do uso popular já consagrado, você poderá conferir alguns links de estudos científicos sobre essa planta por suas ações analgésica, anti-inflamatória e anti-microbiana.

canela de velho 2

Fonte foto

Seu uso para tratar doenças dolorosas como artrites, artroses e reumatismo tem ampla comprovação nas comunidades tradicionais da região nordeste.

Alguns estudos apontam também as suas propriedades terapêuticas no tratamento do Mal de Chagas pois afeta o Tripanossoma cruzis, causador desta doença.

Descrição da planta

Nome científico: Miconia albicans

Família: Melastomataceae

Nome popular: Canela-de-Velho

Partes usadas: Parte aérea da planta (folhas)

Princípio ativo: Flavonóides e compostos triterpênicos (ácido oleanólico e ácido ursólico)

Propriedades medicinais: Anti-inflamatória, analgésica (anti-nociceptivo), antioxidante, antimutagênica, antimicrobiana, antitumoral, hepatoprotetora, tônica digestiva

Tratamento terapêutico: Artrose, artrite reumatóide, fibromialgia, dores e inflamação das articulações, dores na coluna, bursite, redução de radicais livres, purificação do sangue, reumatismo, tendinite e muito mais

Uso do chá

O uso do chá de canela-de-velho é eficaz também para tratar dores resultantes de tendinites, torcicolos, bursites e outros processos inflamatórios, especialmente aqueles que são acompanhados de inchaço local.

Receita do chá de canela-de-velho

  • Você vai precisar de 15 folhas da planta.
  • Coloque as folhas na água (1 litro) e deixe ferver por 30 segundos.Faça uma decocção leve (quando se ferve a planta junto com a água, por um tempo determinado), desligue o fogo, tampe a panela e deixe descansar uns minutinhos.
  • Coe e tome duas xícaras por dia, antes do almoço e antes do jantar e o sobrante, outras duas xícaras, use para banhar as áreas doloridas. Algumas pessoas indicam que se pode tomar até 3 xícaras ao dia.

Refaça o chá diariamente

Para ter resultado você deverá tomar o chá, diariamente, por pelo menos 30 dias e, segundo as indicações, poderá seguir tomando até por mais 60 dias.

Ou seja, o chá de canela-de-velho é um medicamento de uso prolongado e continuado.

O processo de tratamento difere de pessoa para pessoa. Algumas pessoas, dependendo do estágio da doença, já obtêm bons resultados sentindo a diminuição das dores já na primeira semana de tratamento.

Porém, para ter bons efeitos e duradouros, é preciso continuar tanto tomando o chá e banhando os locais inflamados e doloridos.

Sugerimos sempre consultar um médico, principalmente se você estiver fazendo uso de medicamentos para artrite, artrose ou outras doenças.

Onde comprar a canela-de-velho?

Procure pelos ervários na tua cidade, inclusive em alguns lugares, ervas e plantas medicinais são vendidas em feiras livres. De qualquer forma, também é possível encontra a canela-de-velho na internet.

Talvez te interesse ler também:

GERVÃO, UMA ERVA BRASILEIRA CURATIVA POR EXCELÊNCIA

CONHEÇA 10 REMÉDIOS NATURAIS PARA HEMORROIDAS

VERBENAS – UMA FAMÍLIA DE ERVAS MEDICINAIS

Fontes: caneladevelho.com.br e ppmac.org

Espalhe Amor
Ingressou no curso de Ecologia pela UNESP e formou-se em Direito pela UNIMEP. É redatora-chefe e co-founder de GreenMe Brasil.