Cachorro no parque: o que pode e o que não pode fazer

  • atualizado: 
Cachorro no parque

Passear com os nossos cães em lugares abertos é pura diversão, para eles e para nós. É verdade que, infelizmente, muitos lugares proíbem a entrada de animais arbitrariamente, sem antes fazer uma campanha de conscientização com os donos para preservar o local e cuidar dos bichinhos. Mas, por outro lado, existem muitos parques que permitem a entrada de animais, estabelecendo regras de convívio. Mas quais são essas regras?

A chefe da Unidade Estratégica de Direitos Animais da Secretaria do Meio Ambiente, Mara Moscoso, contou para a EBC que, apesar das regras dos conselhos de direito dos animais terem sido alteradas, a principal orientação é o uso de coleira e guia, obrigatoriamente, e ter a boa educação de coletar os dejetos dos animais, claro.

O dono do animal precisa ter bom senso para identificar se o seu pet tem uma boa convivência social com outros cães e pessoas. "Nós aqui defendemos que a gente tem que pensar no bem-estar do animais e o tutor tem que ter a responsabilidade", pondera a secretária.

em parques ecológicos, cada um tem a sua regra. Alguns permitem a entrada de animais; outros, não. Já outros permitem que os donos entrem com os seus cães, mas eles não podem ser soltos.

Em relação à focinheira, Mara explica que, legalmente, é difícil estabelecer quais raças são dóceis e quais não são. Há cachorros grandes que são mansos, enquanto há cães de pequeno porte que são agressivos.

O dono é quem tem que analisar se pode ou não passear com o seu bichinho em público. É preciso tomar cuidado, também, com as crianças. Elas não podem sozinhas guiar um cachorro, porque ele é um predador por natureza. A criança pode não conseguir segurar o animal, porque ele saiu correndo atrás de uma presa, por exemplo.

O que diz a lei

E se acontecer de o dono de um animal mais feroz estar passeando com ele sem guia e coleira? O que fazer, caso haja algum problema?

Pode não haver um agente fiscalizador no momento em que um incidente venha a ocorrer e as demais pessoas que estão, também, no local público se sentirem amedrontadas e inibidas em falar com o dono do animal.

Mara explica que a lei é muita clara: nenhum animal pode andar sem coleira na rua e, também, em parques. Logo, qualquer pessoa pode fazer um boletim de ocorrência denunciando o problema e denunciar à administração sobre o ocorrido.

Parque para cães

Mara deu uma boa notícia à EBC, que é a implantação do parque para os cães, no Distrito Federal, a fim de que os eles possam correr e brincar sem coleira, mas sempre sob a supervisão e responsabilidade do dono: é o Parcão, e será construído um até o primeiro semestre deste ano. São áreas cercadas onde os cães podem brincar levemente. Em algumas cidades brasileiras já existe o Parcão, como em São Paulo.

Responsabilidade

Todos nós amamos os nossos cachorros e queremos passear com eles. Embora esse seja um direito nosso, temos que ser conscientes que muitas pessoas não gostam de cães ou têm medo deles e que elas, também, devem ter o direito delas preservados. Viver em sociedade implica seguir algumas regras de convívio e, por isso, os donos de cães devem fazer uso de coleira e guia sempre que saírem de casa com os seus cães, por mais dóceis que eles sejam.

Caso o seu cão tenha uma atitude imprevista - o que é perfeitamente normal que aconteça - por lei, você é o responsável por ele. Sem falar que, quando o animal está solto, ele pode correr o risco de ser atropelado. Cuide do seu bichinho, para que você e ele se divirtam e estejam sempre juntos!

Especialmente indicado para você:

CACHORRO NA PRAIA: VEJA OS RISCOS À SUA SAÚDE E TOME OS CUIDADOS

CÃES SELVAGENS: UMA AMEÇA ÀS FLORESTAS BRASILEIRAS