Incenso – Significado, Benefícios e Como Evitar seus Malefícios

  • atualizado: 
Incenso

O incenso é conhecido popularmente como aquela “varinha” que se acende para purificar e perfumar ambientes, mas seu significado e funcionalidade vão além.

Ao contrário do que se imagina, o incenso também pode ser maléfico para a saúde, mas essa informação ainda não foi completamente confirmada.

O que se sabe é que ele possui muitos benefícios principalmente para a saúde mental e espiritual. Além disso, é importante conhecer seu significado e um pouco de sua história.

O Significado do Incenso

A palavra incenso originou-se do latim “incendere” que significa “queimar” ou “incensum” que significa “aquilo que queima”.

Ele é composto basicamente por ervas, plantas, madeiras e resinas aromáticas que quando queimados geram uma fumaça que além de perfumar ambientes, serve como meio de comunicação com o plano espiritual.

Segundo o Inca Aromas, “o significado da fumaça do Incenso é o elemento espiritual etéreo ou o plano fino espiritual que está no ar, por onde todas as energias, pensamentos e informações espirituais transitam para chegar em seus devidos lugares.”

O incenso é bastante utilizado desde os primitivos em diversos povos, principalmente em cerimônias religiosas.

Na Igreja Católica, o incenso simboliza algumas passagens bíblicas que referem sua fumaça às orações dos fiéis sendo levadas a Deus.

Outra passagem bíblica (Mateus 2:11) lembra que um dos presentes que o Menino Jesus recebeu em seu nascimento pelos reis magos foi o incenso: “Entrando na casa, viram o menino com Maria, sua mãe, e, prostrando-se, adoraram-no; e abrindo os seus cofres, fizeram-lhe ofertas de ouro, incenso e mirra.”

Outras culturas como a chinesa, por exemplo, usam o incenso há milênios, assim como os hindus colocaram em sua composição raízes aromáticas e componentes provenientes da flora indiana, o que tornaram o incenso indiano mais perfumado que o dos chineses.

Os Benefícios do Incenso

incenso 2

Como dito anteriormente, o incenso é utilizado basicamente para purificar e perfumar o ambiente com o intuito de atrair “bons fluídos”. Os primórdios utilizavam os aromas da queima das essências como forma de reverenciar deuses superiores e se protegerem de maus espíritos. Nas cerimônias religiosas é utilizado como meio de comunicação com o plano espiritual e em rituais de iniciação.

O incenso possui muito mais benefícios que variam de acordo com seu aroma.

Antigamente o incenso era mais utilizado como “magia”, hoje é utilizado como Aromaterapia onde cada fragrância possui uma indicação.

  • Os incensos de canela, por exemplo, são antidepressivos;
  • os de rosa branca combatem o estresse;
  • o almíscar estimula a sensualidade e o romantismo.

Existem diversas fragrâncias de incenso e, para saber mais sobre suas finalidades, o perfil Nova Era no site Recanto das Letras disponibilizou uma lista com as principais fragrâncias e suas indicações.

Os Malefícios do Incenso

Ao contrário do que se imagina o incenso não tem apenas benefícios. Algumas pesquisas apontam que o incenso pode ser maléfico para a saúde devido aos componentes tóxicos emitidos na fumaça exalada por ele que prejudicam os pulmões e podem até causar câncer.

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Tecnologia do Sul da China, alerta para o fato de que a fumaça do incenso pode ser mais tóxica que a do cigarro. Foram feitos testes em bactérias Salmonellas e em ovários de hamisters chineses e constaram que a fumaça do incenso causa mutações genéticas e provocam danos às células, levando-se a crer que estão relacionados ao desenvolvimento de câncer.

Ainda que pareça exagero afirmar que o incenso faça mais mal que o cigarro, considerando que o incenso não é fumado, a pesquisa alerta sobre a utilização do incenso em ambientes fechados, sendo que existem formas corretas para sua utilização.

Uma outra pesquisa realizada na Universidade da Carolina do Norte nos Estados Unidos feita com pessoas dos Emirados Árabes, onde o consumo de incenso é bastante elevado, constatou que os materiais expelidos na fumaça são poluentes e causam inflamações nas células pulmonares.

A pesquisa comprova evidências de que a fumaça dos incensos é um fator de risco de câncer de pulmão, bem como contribui para o aparecimento de sintomas como dores de cabeça, agravamento de doenças cardiovasculares, inflamações respiratórias e mutações na estrutura das células.

Como usar o incenso de forma segura (para evitar seus malefícios)

Outra questão a ser lembrada é em relação à má utilização do incenso, devido à queima em locais impróprios ou o risco de queimaduras devido à aproximação da brasa.

Para usar incenso de forma segura, é preciso:

  • acender o incenso em local apropriado,
  • manter o ambiente arejado para que a fumaça não se acumule e
  • não utilizá-lo com frequência.


Conclui-se que, devido ao fato de existir combustão pela queima de materiais, mesmo que orgânicos, é necessário ter cuidado com relação à utilização do incenso, pois assim como outros artefatos que emitem fumaça, uns são mais poluentes do que os outros e dependendo da intensidade, o dano pode ser irreversível.

No caso do incenso, sua utilização é feita há milênios e, se é liberado até hoje, é porque provavelmente não é tão prejudicial para a saúde como indicam as pesquisas, mas o ideal é usar o incenso com moderação e em condições apropriadas.

O importante é desfrutar de momentos de bem-estar, purificação e limpeza espiritual, sem excessos ou imprudências.